RESENHA: O visconde que me amava - Julia Quinn



E estamos de volta, com mais uma resenha super legal para você! Se você curte romances de época, bons protagonistas e uma escrita fluida e gostosa de se ler, sem dúvidas irá curtir a série de Julia Quinn. Por isso, leiam a crítica da Simonir sobre o segundo livro da série e se preparem para fortes emoções...


A temporada de bailes e festas de 1814 acaba de começar em Londres. Como de costume, as mães ambiciosas já estão ávidas por encontrar um marido adequado para suas filhas. Ao que tudo indica, o solteiro mais cobiçado do ano será Anthony Bridgerton, um visconde charmoso, elegante e muito rico que, contrariando as probabilidades, resolve dar um basta na rotina de libertino e arranjar uma noiva. Logo ele decide que Edwina Sheffield, a debutante mais linda da estação, é a candidata ideal. Mas, para levá-la ao altar, primeiro terá que convencer Kate, a irmã mais velha da jovem, de que merece se casar com ela. Não será uma tarefa fácil, porque Kate não acredita que ex-libertinos possam se transformar em bons maridos e não deixará Edwina cair nas garras dele. Enquanto faz de tudo para afastá-lo da irmã, Kate descobre que o visconde devasso é também um homem honesto e gentil. Ao mesmo tempo, Anthony começa a sonhar com ela, apesar de achá-la a criatura mais intrometida e irritante que já pisou nos salões de Londres. Aos poucos, os dois percebem que essa centelha de desejo pode ser mais do que uma simples atração.


Primeiro: Ainda estou enamorada por esse Visconde! rsrs
Segundo: A personalidade de Kate... É assim... G-zuuuuuis como me identifiquei com ela. rsrs

Bom vamos lá...
Quando Anthony decide que enfim é hora de se casar, ter uma família e largar de vez a vida de libertino, em momento algum passou por sua cabeça a possibilidade de que a noiva fosse Kate, simplesmente porque os dois se detestam...
Ou melhor ela detesta ele, mas ele nem ao menos a conhecia pessoalmente, sabia apenas que tinha que conquistar a simpatia e aprovação dela, para poder cortejar Edwina, a noiva ideal.
Mas nada nessa vida é como planejamos, não é mesmo?
Pois é...
Nos romances de Julian Quinn as vidas deles não são do jeito que eles querem não! rsrs
A primeira dança já fica claro para Anthony que jamais irá conquistar a confiança de Kate, simplesmente porque não consegue deixar de provocar a irá dela nos poucos momentos que permanecem juntos dançando, é mais forte que ele.

Bom já Kate tem uma personalidade extremamente forte, decidida, inteligente e que ama a família a ponto de aprovar ou não os pretendentes que se aproximam dela para cortejar a irmã.
O comportamento explosivo de Kate é exatamente o que atraí Anthony, e a personalidade de ambos nos rende boas risadas, muitas brigas deliciosas de se ler (siiim gente, adoro uma briga de casal, rsrs).

Os encontros em bailes e saraus são regados de farpas e desentendimentos, mas como já diria o velho ditado: "Quem desdenha, no fundo quer comprar!".

E é exatamente o que acaba acontecendo com ambos, contrariando seu plano de vida, Anthony se vê cada dia mais atraído por Kate, e apesar de sua mente saber que tem que escolher Edwina como noiva, seu coração tem outros planos.
Já Kate começa a ficar balançadinha com o jeito super protetor e amável com a família, além de decidido, e aos poucos começa a reparar que ele não é assim um libertino tão ruim como costumava pensar... E o desenrolar desse romance é uma delicia de se ver acontecendo.

Só me pego ficando um pouco preocupada com o desfecho da decisão do casamento, pois a história é a mesma que acontece no primeiro livro, obvio que fica claro que as histórias dos Bridgertons, serão sempre em torno de casamentos e costumes da época, mas em determinado momento me vi lendo a mesma coisa do primeiro...
Aquela coisa de serem obrigados a se casarem por terem sido flagrados por alguém em algum momento constrangedor, isso deixou um pouco a desejar.

Mas com exceção deste pequeno trecho o restante é maravilhoso, a escrita da Julia Quinn é impecável, assim como foi no primeiro volume, apesar de ter me feito ficar mais apaixonadinha pelo Anthony, pelo menos até agora porque esses Bridgertons são todos bons!




Simonir Rodrigues

26 anos, pernambucana de natureza, paulista de coração e ama a cidade da garoa. Tem o dom de se viciar facilmente em tudo que desperta sua paixão: música boa, livros, filmes e séries. De alma apaixonada, que escrever por prazer e nesse processo vai se descobrindo, aspirante a blogueira, que não resiste a um "bicho de pé" (o doce)!

0 comentários:

Postar um comentário

Comente! Sua opinião é muito importante para nós.