RESENHA: A redenção de Gabriel - Sylvain Reynard



Olááá galera, hoje estamos literalmente compensando ontem, já que este já é o nosso terceiro post do dia. A equipe do Drunk está em clima de leitura e por isto, a nossa resenhista convidada - que daqui à pouco vira oficial rs - Lucila, trouxe para vocês a crítica do último livro da trilogia do Gabriel. Não se esqueçam de deixar comentários dizendo o que estão achando deste nosso projeto 'Blogueiro por um dia' e não deixe de mandar o seu texto para a gente! Super beijo :*


Depois do escândalo em que se viram envolvidos em Toronto, Gabriel e Julia se casaram e se mudaram para Massachusetts, onde ele dá aula na Universidade de Boston e Julia faz doutorado em Harvard. Agora ela precisa provar que não vive à sombra do marido famoso. Mas parece que Gabriel não está pronto para ver a esposa caminhar com as próprias pernas. Quando ela é convidada a dar uma palestra em Oxford, surge seu primeiro conflito: a linha de pesquisa dela diverge da teoria dele.
Durante a conferência, os dois são obrigados a confrontar antigos rivais, entre eles a incansável Christa, que, ainda determinada a humilhar Julia, ameaça revelar um dos segredos mais obscuros de Gabriel. Além disso, as coisas entre eles não vão muito bem. Isso porque Gabriel está ansioso para ter um filho, mas Julia quer concluir o doutorado primeiro. Para ver realizado seu sonho de formar uma família, Gabriel terá que enfrentar fantasmas do passado. Será ele capaz de fazer isso? E será que a generosidade de Julia resistirá à ameaça de ver arruinada a carreira que ela tanto se esforçou para construir? 'A Redenção de Gabriel' é o desfecho brilhante dessa trilogia que arrebatou leitores no mundo inteiro.


E chegou ao fim a trilogia de Gabriel. No último livro da série, “Redenção de Gabriel”, vemos o que aconteceu com nosso casal, Júlia e Gabriel, e seus antagonistas após os acontecimentos do segundo livro.
Julia e Gabriel estão casados e felizes. Ela está finalmente fazendo seu doutorado em Havard e após um ano de estudo foi convidada para fazer sua primeira palestra, em Oxford. Porém, seu maior medo é que ela não seja tão boa quanto seu marido e que viva às sombras dele. Durante os livros anteriores vimos uma Julia insegura que se dedicava aos estudos e à Gabriel. Neste o marido acaba ficando um pouco de lado, mas mesmo assim ele não deixa de demonstrar seu amor e dedicação a ela.


-Quero deixar você orgulhoso.
-Sempre estarei orgulhoso de você. Estou orgulhoso de você. (p.61)


Gabriel vive por Julia (sim, pra ele não existe mais nada no mundo), faz tudo por ela, mas em minha opinião ela se mostrou um pouco egoísta nesse livro. Ela mesma fala isso. Gabriel quer ajudá-la em tudo que é possível e ainda tem um sonho não realizado, ter um filho. Júlia no início nem gosta de tocar no assunto, mas ele entende que ela quer esperar se formar e aceita, mas a vontade ainda está lá. De verdade, não existe homem como ele , nem adianta procurar, ele é perfeito demais: compreensível, inteligente, lindo, amoroso...rsrs


- ...o casamento era um mistério; ao se casarem duas pessoas se entrelaçam até se tornarem uma só. Quando estamos separados, é como se uma parte de mim estivesse faltando. (...) (p.327)


Nesse último livro muitas coisas são esclarecidas e muitos finais são realmente finais. Temos o que aconteceu com Christa – sabe que eu fiquei com dó? Mas mereceu. Conhecemos as origens de Gabriel, o final de Paul, Tom (pai de Júlia), Simon e Natalie.
Como nos seus anteriores, temos poemas dantescos, Deus e muita nerdisse, mas isso da um toque diferente ao livro. Um ponto em que gostei muito do livro é que as coisas não acontecem atropeladas, tudo tem seu tempo, não são 03 meses que definem o livro e sim anos (sim, estou fazendo um comparativo com “50 tons de cinza”). O livro encerrou muito bem a trilogia, teve sua dose certa de romance, brigas, desfechos e claro, final feliz. Confesso que uma lágrima escorreu no final.


- Aqui culminam todas as minhas esperanças, Gabriel. – Julia estendeu a mão para ele, que se esticou para enlaçar o dedo mundinho dela no seu. – Este é meu final feliz. (p.424)





Lucila tem 28 anos é formada em Relações Públicas e é pós-graduanda em Administração pela FGV. Trabalha com eventos no Sistema de Ensino Poliedro e ama o que faz. É geminiana e gosta de falar bastante. Ama um filme, seja em casa ou no cinema. E devora um livro num final de semana.








=> Este post está participando do Top Comentarista de Janeiro, clique para preencher o formulário.

1 comentários:

  1. Oii :}

    Fim de trilogias é bom e ruim ao mesmo tempo né Lu? Como eu já disse na resenha do primeiro eu me decepcionei, mas tenho curiosidade de saber como acabou esse casal, e claro os outros personagens !!
    Ainda não posso dizer que as resenhas me conquistaram, mas vou sim dar uma chance pra trilogia.
    Bj

    ResponderExcluir

Comente! Sua opinião é muito importante para nós.