RESENHA: Como eu era antes de você - Jojo Moyes



Boom dia pessoal, como é que vocês estão? Sentindo nossa falta? Pois eu estou sentindo a de vocês. O post único de hoje vai ser uma super resenha da Ana, sobre um livro mais interessante ainda, e do qual vocês provavelmente já ouviram falar! O vídeo especial que era para ter ido ao ar hoje, vai ser liberado só na segunda-feira, como um extra da semana. Enfim, espero que vocês gostem e não se esqueçam de deixar nos comentários, o que acharam. Super beijo da Kate =)

COMO EU ERA ANTES DE VOCÊ – JOJO MOYER

Aos 26 anos, Louisa Clark não tem muitas ambições. Ela mora com os pais, a irmã mãe solteira, o sobrinho pequeno e um avô que precisa de cuidados constantes desde que sofreu um derrame. Além disso, trabalha como garçonete num café, um emprego que ela adora e que, apesar de não pagar muito, ajuda nas despesas. E namora Patrick, um triatleta que não parece interessado nela. Não que ela se importe.
Quando o café fecha as portas, Lou se vê obrigada a procurar outro emprego. Sem muitas qualificações, a ex-garçonete consegue trabalho como cuidadora de um tetraplégico. Will Traynor, de 35 anos, é inteligente, rico e mal-humorado. Preso a uma cadeira de rodas depois de um acidente de moto, o antes ativo e esportivo Will desconta toda a sua amargura em quem estiver por perto e planeja dar um fim ao seu sofrimento. O que Will não sabe é que Lou está prestes a trazer cor a sua vida. E nenhum dos dois desconfia de que irá mudar para sempre a história um do outro.






Este livro vai contar a estória da Louisa, ou Lou para os íntimos, depois que o café onde ela trabalha fecha e ela se vê obrigada a conseguir um novo emprego, afinal a família depende de seu auxílio financeiro. Quando ela encontra esse emprego de cuidadora de um tetraplégico, só consegue pensar no quanto, - apesar de pagar muito bem - ela odeia a ideia de dar banho e limpar o traseiro de outro ser humano, mas ela descobre que as habilidades sociais dela parecem ser mais importantes que qualquer habilidade de enfermagem para o tipo de trabalho que esperam dela. Seu paciente é Will, ele tem 35 anos e como diz a sinopse, é inteligente, rico e mal-humorado. A princípio ele é bem cruel com Lou, mas a medida que eles vão convivendo, o relacionamento deles começa a mudar.
Quando Lou descobre os planos de Will de tentar acabar com o próprio sofrimento, ela decide mudar drasticamente seu método de trabalho, e de simples acompanhante ela acaba assumindo pessoalmente a tarefa de fazer Will mudar de ideia. Mesmo que isso afete o relacionamento com seu namorado e sua família.
Apesar de ser narrado quase integralmente pela protagonista, alguns capítulos acompanham personagens ao redor de Louisa e Will. Como Camilla, a mãe de Will, por exemplo, que segundo Lou parece estar sempre com um olhar crítico destinado a ela e age sempre de forma fria perto do filho. Mas é justamente no capítulo narrado por Camilla que é possível entender os reais motivos de sua aparente frieza.

“Foi só quando trouxemos Will de volta pra casa, depois que o anexo foi adaptado e arrumado, que encontrei algum sentido em tornar o jardim bonito outra vez. Precisava dar ao meu filho um lugar para onde olhar. Precisava dizer a ele, silenciosamente, que as coisas poderiam mudar, crescer ou fenecer, mas que a vida continuaria. Que todos nós éramos parte de um grande ciclo, algum tipo de arranjo cuja finalidade só Deus poderia entender. Eu não podia dizer isso a ele, é claro – Will e eu nunca fomos muito bons em conversar –, mas eu queria mostrar. Uma promessa tácita, se preferir, de que existe algo maior, um futuro melhor.” Pág. 98

A medida que Lou começa a por em pratica seu objetivo de fazer Will ver a vida de forma diferente, o livro começa a nos fazer refletir sobre o poder de nossas escolhas, mesmo se não tivermos poder sobre nosso corpo, e eu comecei a pensar sobre o que eu faria no lugar de Will ou como eu reagiria a sua decisão por dar fim a tudo se fosse Lou ou alguém de sua família. Eu aceitaria? Entenderia? Enquanto os dois se tornam familiares, eles realmente estabelecem uma conexão que me deixou desejando um romance, mesmo que isso parecesse fisicamente inviável. 

“Eu tinha conseguido. A melhor maneira para convencer Will a fazer qualquer coisa era dizer a ele que você sabia que ele não iria querer fazê-la. A parte dele que era do contra, obstinada, não suportava isso.Pág. 155


Acho que já deu pra entender o quanto esse livro é especial. O rumo do relacionamento dos protagonistas ou se Lou atingiu seu objetivo e fez Will mudar de ideia você só vai saber quando ler. Mas adianto que é apaixonante.





Tem 26 anos, estuda hotelaria e é aquariana em todos os sentidos. Apaixonada por livros, julga-os pela capa e adora uma boa promoção. Também gosta de filmes de todos os gêneros, principalmente terror. Adora assistir séries de TV junto com o maridão e música boa, apesar de não entender muito de música. 








=> Este post está participando do Top Comentarista de Novembro/Dezembro, clique para preencher o formulário.

2 comentários:

  1. Oii Ana !
    Acabei comprando o livro mês passado, mas confesso que ainda não tive coragem pra iniciar a leitura ..
    Acabo me envolvendo demais com a história, e pelo que percebi das resenhas que li esse livro ao mesmo tempo que vai ser maravilhoso, também vai nos fazer sofrer bastante junto com os protagonistas ..
    A Lou é uma personagem que eu quero muito conhecer, acho que vou me dar bem com ela, rs!
    Sou apaixonada por essa capa <3
    Bjs !

    "Promo de Natal"

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Vitória

      A Última Carta de Amor também da Jojo Moyer é lindo. E ainda quero ler A Garota que Você Deixou Para Trás.

      Excluir

Comente! Sua opinião é muito importante para nós.