RESENHA: Stolen 'Carta ao meu sequestrador' - Lucy Christopher


Booooa tarde galera, como é que vocês estão? Curtindo o meio da semana? Pois é, por aqui nós estamos trabalhando loucamente. Hoje é dia de resenha da Ana por aqui e eu espero que vocês gostem. O livro por si só - Stolen ou Raptada - é bem polêmico e bem comentado na blogosfera. A capa dele, me conquistou logo de cara e a temática me parece ser interessante demais para não ser lida. Por isso, o que vocês acham de curtir mais esta crítica literária? 

STOLEN ‘CARTA AO MEU SEQUESTRADOR’ – LUCY CHISTOPHER

Gemma é uma adolescente normal esperando para pegar um voo no aeroporto de Bangkok com seus pais. Ao se afastar, conhece o charmoso e envolvente Ty, e nem imagina quais são suas reais intenções... Ele lhe oferece um café em que coloca algum tipo de droga. Confusa, ela é sequestrada e arrastada para o meio do deserto australiano. Ele a rouba para si, depois de anos a observando, e ainda espera que ela o ame. Os dias se passam e eles têm apenas um ao outro na imensidão vazia e escaldante do deserto, e Gemma começa a entender e conhecer Ty. É aí que os limites entre inimizade e compaixão vão ficando cada vez mais tênues...








Essa semana passada foi a minha semana de drama, comecei com esse livro incrível e fui terminar meu fim de semana com dois dos filmes mais arrebatadores, apaixonantes  e dramáticos. Talvez role uma resenha durante a semana, se a Kate deixar.
Mas vamos falar deste livro, que mexeu bastante comigo e certamente mexerá com qualquer leitor com um coração. Stolen vai nos contar a estória da Gemma, que conhece Ty no aeroporto de Bangkok, é drogada e raptada. Assim como em todos esse casos de raptos planejados, Ty consegue leva-la para o deserto da Austrália. Depois que toda a droga sai do seu organismo e ela fica consciente, Gemma se dá conta que para seu azar não há como escapar. Para todos os lados só há areia, calor e silêncio. E ela não tem saída a não ser tentar sobreviver e compreender os motivos que levaram Ty a sequestra-la.

Então segui você. Não sei bem por quê. Poderia dizer que foi porque não tinha nada melhor para fazer a não ser olhar para quatro paredes, ou porque queria fugir de novo. Mas acho que era mais do que isso. Quando estava dentro de casa me sentia como se estivesse morta. Quando estava com você pelo menos sentia que minha vida tinha alguma importância... não, não é bem isso, sentia que minha vida estava sendo notada. Parece estranho, eu sei, mas eu sabia que você gostava da minha companhia.
Pág. 119

Com o tempo ela acaba desenvolvendo a Síndrome de Estolcomo*.
O livro foi um pouco perturbador, e é contado pelo ponto de vista da Gemma através de cartas, e conforme ela vai desvendando as razões do sequestro e se aproxima do sequestrador, não só ela como eu mesma acabei desenvolvendo simpatia pelo Ty. 

Além disso, temos que reconhecer, você me sequestrou. Mas salvou minha vida também. E entre uma coisa e outra você me mostrou um lugar diferente e lindo, que eu não conseguia tirar da cabeça. Assim como não consigo tirar você. Você está tão incorporado ao meu cérebro quanto meus vasos sanguíneos.
Pág 357

Quando eu leio um livro desse tipo, eu realmente espero que o prisioneiro consiga fugir ou ser resgatado, mas não sei se neste livro eu tive esses mesmos sentimentos e isso certamente é desconcertante.
Para finalizar, devo dizer que eu recomendo esse livro com carinho, eu sei que quem gosta de drama vai ser arrebatado por essa estória. Mas vá com calma, ninguém quer se apaixonar por um sequestrador, não é mesmo?

*Síndrome de Estocolmo é o nome dado a um estado psicológico particular em que uma pessoa, submetida a um tempo prolongado de intimidação, passa a ter simpatia e até mesmo sentimento de amor ou amizade perante o seu agressor. A síndrome de Estocolmo parte de uma necessidade, inicialmente inconsciente.

=> Este post está participando do Top Comentarista de Setembro/Outubro, clique para preencher o formulário.

Ana Cristina
Tem 26 anos, estuda hotelaria e é aquariana em todos os sentidos. Apaixonada por livros, julga-os pela capa e adora uma boa promoção. Também gosta de filmes de todos os gêneros, principalmente terror. Adora assistir séries de TV junto com o maridão e música boa, apesar de não entender muito de música. 



4 comentários:

  1. Nossa, é estranho pensar em ter alguma amizade ou algum tipo de carinho pelo seu agressor, é uma coisa dificil de entender, fiquei bem curioso pra saber esses motivos que o Ty teve de sequestrar e o pq dela desenvolver a sindrome de Estocolmo, eu tbm quando leio algum livro desse tipo, torço pra que o prisioneiro consiga fugir, acho que a maioria deve torcer né, fiquei curioso tbm pq vc disse que tbm sentiu uma simpatia pelo Ty.

    ResponderExcluir
  2. Oi Ana,
    Sei bem como você se sente, foi chegando as últimas paginas dele e eu fui ficando na torcida para que os dois ficassem juntos, olha a loucura! rsrs
    Tinha que ficar parando e repetindo para mim mesma: "epaaaa ele sequestrou ela, se liga!" rsrs
    Adoreiii esse livro, li em E-pub e agora quero o físico para deixar na estante, porque livro bom a gente quer ter sempre junto néh? rsrs

    Bjos,

    Simonir Rodrigues

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu tive o mesmo drama, chegava a me sentir culpada por desejar que ficassem juntos.
      E também concordo com você sobre ter o livro na estante.

      Excluir
  3. Parece ser emocionante, você se contagiou com essa história, e me convenceu de que eu também serei =D
    Dá uma passadinha no meu blog quando puder: Sexo, Fraldas e Rock'n Roll
    Bjs ***

    ResponderExcluir

Comente! Sua opinião é muito importante para nós.