RESENHA: Quarto - Emma Donoghug



Booooa noite galera do Drunk, como é que vocês estão? Sei que vim tarde hoje, mas acreditem, tenho uma justificativa válida. Passei o dia inteiro resolvendo problemas no centro da cidade, e só cheguei em casa agora. No mais, acho que vai ter valido a pena esperar, quando vocês lerem a resenha que a talentosa da Ana fez sobre o livro 'Quarto'. Leiam já o post e é claro, não se esqueçam de deixar seus comentários... :D

QUARTO – EMMA DONOGHUE

Para Jack, um esperto menino de 5 anos, o quarto é o único mundo que conhece. É onde ele nasceu e cresceu, e onde vive com sua mãe, enquanto eles aprendem, leem, comem, dormem e brincam. À noite, sua mãe o fecha em segurança no guarda-roupa, onde ele deve estar dormindo quando o velho Nick vem visitá-la. O quarto é a casa de Jack, mas, para sua mãe, é a prisão onde o velho Nick a mantém há sete anos. Com determinação, criatividade e um imenso amor maternal, a mãe criou ali uma vida para Jack. Mas ela sabe que isso não é suficiente, para nenhum dos dois. Então, ela elabora um ousado plano de fuga, que conta com a bravura de seu filho e com uma boa dose de sorte. O que ela não percebe, porém, é como está despreparada para fazer o plano funcionar.








Sempre me perguntei como essas pessoas que eventualmente aparecem nos jornais e que foram encontradas em cativeiro depois de viver anos assim, conseguem conservar a saúde mental. Já que a situação por si só, é assustadora e desprezível. Parece impossível se colocar no lugar e imaginar o que eu mesma faria. Esse livro apesar de ser perturbador me fez viver o que acredito, seja bem próximo do tumulto de emoções a que uma pessoa nessa situação é exposta.
O livro Quarto vai contar a estória de Jack e sua mãe, -  que foi sequestrada quando tinha dezenove anos e permanece em cativeiro há sete. Dentro do cativeiro ela deu à luz a Jack, fruto das constantes visitas do velho Nick, o sequestrador. Os dois vivem em um quarto a prova de som e seus únicos contatos com o mundo são através de uma TV e do velho Nick. 
A estória é contada pelo ponto de vista de Jack, e visto que o quarto é o único lugar que ele conhece, devo admitir que é um ponto de vista bem singular. A única ideia de mundo que ele tem é através do que vê na TV e das estórias contadas pela sua mãe. Apesar de todo o drama da situação, sua mãe consegue construir um mundo próprio para os dois e conservar a inocência dele. Enquanto ela mesma tenta manter sua sanidade intacta. Em meio a tudo isso ela ainda tenta bolar arriscados planos de fuga com a participação do pequeno Jack, que apesar de não compreender o que está acontecendo é forçado a crescer para poder ajudar.
Apesar de se tratar de uma ficção, creio que a autora teve muito sucesso na narrativa desse livro. Realmente me senti impotente em muitas das situações citadas. É um livro sofredor, mas como eu já disse antes, eu ADORO um drama. Minha opinião é que vale a pena, é um livro triste, mas ao mesmo tempo muito reflexivo.

Ana Cristina
Tem 26 anos, estuda hotelaria e é aquariana em todos os sentidos. Apaixonada por livros, julga-os pela capa e adora uma boa promoção. Também gosta de filmes de todos os gêneros, principalmente terror. Adora assistir séries de TV junto com o maridão e música boa, apesar de não entender muito de música. 



=> Este post está participando do Top Comentarista de Setembro/Outubro, clique para preencher o formulário.



3 comentários:

  1. Gosto bastante deste tipo de trama.
    Fiquei bem interessada.
    É uma história mais pesada, porém q nos faz pensar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Bianca, leia a resenha de Stolen - Carta ao meu sequestrador. A tematica é parecida, mas totalmente diferente ao mesmo tempo.

      Excluir
  2. Um assunto tenso de falar né, tbm nao me imaginaria em uma situação dessas nao, deve ser muito dificil conviver com isso, quem derá isso fosse só em historias mesmo, mas não, acontece mesmo, mas em relação ao livro eu tbm gosto desse tipo de livro, fiquei muito curioso pra conhecer essa história.

    ResponderExcluir

Comente! Sua opinião é muito importante para nós.