RESENHA: O lado mais sombrio - A.G Howard



Bom dia galera, como é que vocês estão? Hoje é segunda-feira e para começar o dia com o pé direito, que tal dar uma olhadinha na indicação de um livro bem bacana? Fica a dica! Espero que vocês tenham uma ótima segunda feira e uma semana ainda melhor. Mais tarde estamos de volta!

O LADO MAIS SOMBRIO – A.G HOWARD

Alyssa Gardner ouve os pensamentos das plantas e animais. Por enquanto ela consegue esconder as alucinações, mas já conhece o seu destino: terminará num sanatório como sua mãe. A insanidade faz parte da família desde que a sua tataravó, Alice Liddell, falava a Lewis Carroll sobre os seus estranhos sonhos, inspirando-o a escrever o clássico Alice no País das Maravilhas. Mas talvez ela não seja louca. E talvez as histórias de Carroll não sejam tão fantasiosas quanto possam parecer. Para quebrar a maldição da loucura na família, Alyssa precisa entrar na toca do coelho e consertar alguns erros cometidos no País das Maravilhas, um lugar repleto de seres estranhos com intenções não reveladas. Alyssa leva consigo o seu amigo da vida real o superprotetor Jeb , mas, assim que a jornada começa, ela se vê dividida entre a sensatez deste e a magia perigosa e encantadora de Morfeu, o seu guia no País das Maravilhas. Ninguém é o que parece no País das Maravilhas. Nem mesmo Alyssa...






Eu particularmente, apesar de admirar a história do tão renomado Lewis Carroll, nunca consegui entender completamente os motivos por trás do sucesso da trama ter sido tão grandioso. Sempre fui muito questionadora em relação à livros de ficção, não sei se por gostar muito do gênero, ou se só por questionar mesmo. Por este e muitos outros motivos, quando fiquei sabendo que a Novo Conceito, lançaria uma releitura ‘teen’ de Alice no país das maravilhas, fiquei tremendamente curiosa à respeito. Curiosidade esta, que só aumentou quando vi a capa – tão incrivelmente linda e mística – da obra.
A história, reescrita por A.G Howard, aborda o universo de Alice de um modo um pouco mais moderno e diferente. Alyssa Liddell, é uma skatista adolescente, que é secretamente apaixonada pelo melhor amigo, usa ‘dreads’ coloridos no cabelo, carrega cicatrizes nas mãos e possui sérios problemas familiares. Sua mãe, Alisson Liddell, ficou louca e foi internada devido às suas recentes conversas com flores e insetos, e por insistir na existência de um mundo, tal como o país das maravilhas – tão falado por Carroll. Poderia ser só mais um caso, porém, o que assusta mesmo Alyssa é que todas as mulheres da família Liddell ficam loucas com o passar do tempo. Desde os relatos de loucura de sua tataravó, Alice. É quase como se a família Liddell estivesse agarrada à uma maldição.

“-Eu vou aonde a Al vai, insetão. E só para seu conhecimento, se alguma coisa acontecer com ela, vou espetar você pelas asas numa prancha de cortiça e usá-lo para treinar dardos.
O confronto entre Jeb e Morfeu é só um ruído de fundo. Estou aqui para quebrar a maldição por Alison – só isso importa. Só que eu nunca deveria ter metido Jeb nisso. Se eu pudesse voltar no tempo...”

Quando pequena, algumas poucas memórias de Alyssa, foram protagonizadas por uma mariposa preto azulada, com quem costumava brincar. Mariposa esta, que fora o motivo por qual Alison pirara de vez. A mãe de Alyssa, numa tentativa de cortar as asas do inseto com tesouras de jardineiro, acabou por ferir a filha gravemente nas mãos. Depois disso, o pai de Alyssa praticamente se viu obrigado, a internar a mulher que amava em um lugar onde a sedassem e a mantivessem sob controle. Alison alegara que Alyssa devia ficar longe do bicho e desde então, a menina nunca mais vira a sua tão estranha amiga. Até que, aos 16 anos, e em meio ao caos do último ataque de sua mãe – quando aparentemente ela tentara se enforcar – onde seu pai, decide pelo tratamento de choque, Alyssa acaba descobrindo que a mariposa que Alison tanto temera, na verdade era apenas uma das formas de Morfeu, o grande responsável pela ida das ‘Liddell’ ao país das maravilhas. Morfeu, com seus cabelos lisos e preto azulados, que com a promessa de quebrar a maldição que persegue a família de Alyssa, consegue que a menina concorde em atravessar o espelho de seu quarto e consequentemente entrar em seu estranho e alucinante mundo. O que Morfeu não sabia, era que Jeb – o melhor amigo de Alyssa – acabaria atravessando o espelho também, preocupado com a amiga por qual também era apaixonado.

"Ele junta nossas mãos. – Tudo bem que você tenha um lado meio ruim. Eu também tenho. Assim, nós formamos um grande par. – Ele me ajuda a sair da mesa, envolvendo os braços na minha cintura. Quando beija a minha testa, seu piercing aperta o ponto entre minhas sobrancelhas, frio e reconfortante.”

Chegando ao país das maravilhas, Alyssa acaba tendo que consertar os erros que Alice – sua tataravó -, em sua última visita, deixara para trás, porém a menina sabe que há algo bem maior e mais misterioso, que Morfeu não esta lhe contando.

‘O lado mais sombrio’, em minha opinião, é uma releitura incrível da obra de Carroll e que de fato, me agradou. Por explicar os pontos em que eu havia ficado confusa, e por adaptar de uma forma tão plena e ao mesmo tempo divergente, o cenário, personagens e fatos que enchem a obra de um horripilante encanto. Os personagens são fortes e com características únicas. A própria Alyssa, é uma garota de personalidade forte, que se destaca por sua coragem e amor pela mãe. Jeb é o tipo de melhor amigo que qualquer um, iria querer ter ao lado e Morfeu, é misteriosamente maravilhoso. Então, se você curte a história de Alice, gosta de uma boa ficção e de um pouco de romance, está mais do que indicado à ler ‘O lado mais sombrio’. 

=> Este post está participando do Top Comentarista de Setembro/Outubro, clique para preencher o formulário.

1 comentários:

  1. Já faz muito tempo que quero ler esse livro, e com essa resenha minha vontade aumentou mais ainda, adoro essas historias que estao surgindo dos contos e das historias que ja conhecemos, mas de um jeito diferente, digamos mais adulto, mais sombrio, quero muito ler esse livro, quando vi esse Morfeu lembrei do deus grego dos sonhos, adoro mitologia, parece que nao tem nada a ver, só o nome mesmo, mas foi só uma observação....rsrs

    ResponderExcluir

Comente! Sua opinião é muito importante para nós.