RESENHA: Se eu ficar - Gayle Forman



Booooa tarde galera, tudo bem com vocês? O post de hoje demorou mas saiu e mais tarde tem mais. Espero que vocês tenham uma ótima semana e amanhã vai rolar vídeo de #nail art por aqui, então não deixem de conferir. Não deixem, também, de participar das promos que estão rolando e aqueles que ainda não receberam os prêmios - de promos passadas - fiquem tranquilos que esta semana estou providenciando o envio dos mesmos. Fiquem com a resenha da Ana, de um dos lançamentos mais vendidos da Novo Conceito, em 2014... Eu já li e assim como a Ana, estou encantada. Então por favor, acompanhem o post até o fim e comentem basta!

SE EU FICAR – GAYLE FORMAN

A última coisa de que Mia se lembra é a música. Depois do acidente, ela ainda consegue ouvir a música. Ela vê o seu corpo sendo tirado dos destroços do carro de seus pais – mas não sente nada. Tudo o que ela pode fazer é assistir ao esforço dos médicos para salvar sua vida, enquanto seus amigos e parentes aguardam na sala de espera... e o seu amor luta para ficar perto dela. Pelas próximas 24 horas, Mia precisa compreender o que aconteceu antes do acidente – e também o que aconteceu depois. Ela sabe que precisa fazer a escolha mais difícil de todas.









O livro conta a estória da Mia, uma adolescente que toca violoncelo e sonha estudar em uma das mais conceituadas escolas de música dos Estados Unidos, mesmo que isso a afaste do namorado que toca em uma banda que está começando a ficar famosa. Então em uma manhã fria em um passeio de carro com os pais e o irmão mais novo, acontece o acidente responsável por mudar completamente sua realidade e faz com que ela tenha que tomar a decisão mais difícil de sua vida.

“O helicóptero atinge um bolsão de ar e é óbvio que eu deveria me sentir enjoada. Mas não sinto nada. Pelo menos este eu, que é um espectador, não sente nada. E o eu que está aqui, deitado na maca, parece que também não. Mais uma vez, preciso me perguntar se estou morta e respondo a mim mesma que não. Não teriam me colocado neste helicóptero e não sobrevoariam as florestas comigo se eu estivesse morta.” Pág. 29

Logo após o acidente ela acorda consciente de tudo, mas sem entender o que aconteceu, até se dar conta que enquanto os paramédicos cuidam de seu corpo em choque, seu espírito está fora do corpo e se torna observadora de tudo que está ao seu redor.  Enquanto a estória se desenrola, ela vai lembrando do passado, o que nos permiti conhecer sua estória e sua família.
Então com a ajuda das pessoas que a amam, enquanto está em coma, ela tem que decidir se ela realmente quer acordar para essa nova vida, completamente diferente.


”A Num dos cantos da UTI, em meio ao silencio, começo a pensar de verdade sobre todas as coisas terríveis que venho ignorando até agora. Como seria se eu decidisse ficar? (...)
Não estou certa de que este é o mundo ao qual pertenço. Não tenho certeza se quero acordar.”  Pág. 136

Admito que o livro me fez pensar, o que eu faria no lugar dela. Eu escolheria viver ou escolheria partir? Eu ía querer viver?

“Fico me perguntando se toda pessoa que está prestes a morrer tem de decidir entre ficar ou partir. Parece algo improvável. Afinal, este hospital está cheio de gente que não para de receber remédios em suas veias ou que são submetidos a operações terríveis só para poderem ficar, mas algumas delas vão morrer de qualquer jeito.” Pág. 149

Reconheço que em alguns momentos fiquei com os olhos marejados, porque sim, a estória é triste, mas é linda também. Me apaixonei pela personagem, pois assim como ela, já passei por essa fase de timidez e inibição, ainda sim, indo atrás do que eu realmente acredito.
Minha opinião final é que eu gostei muito do livro, a capa é fofa, a diagramação foi super bem feita e realmente me senti inserida na vida dos personagens. O único porém na minha opinião foi o final, simplesmente brusco, como frear em alta velocidade, mas ao final do livro há um primeiro capítulo de uma continuação, então o jeito é esperar pela sequência - que sai em outubro deste ano.
Ainda sim gostei, e sim me animei para assistir a adaptação no cinema, mas isso é papo pra outra postagem.

Por favor, comentem, deixem suas opiniões e sugestões.
Beijos,
Ana

Ana Cristina
Tem 26 anos, estuda hotelaria e é aquariana em todos os sentidos. Apaixonada por livros, julga-os pela capa e adora uma boa promoção. Também gosta de filmes de todos os gêneros, principalmente terror. Adora assistir séries de TV junto com o maridão e música boa, apesar de não entender muito de música. 




0 comentários:

Postar um comentário

Comente! Sua opinião é muito importante para nós.