[RESENHA] Minha vez de brilhar - Erin E. Mouton


Boooom dia gente! Como é que vocês estão? Hoje é dia de resenha aqui no Drunk e eu quero começar esta segunda-feira com a crítica de um livro bem bacana, que amei ler e que com toda certeza vai dar o que falar... O segundo livro publicado pelo selo #irado da Novo Conceito está incrível, bora conferir o que eu achei? Lembrando que mais tarde eu volto com as fotos da semana... Beijinhos!

MINHA VEZ DE BRILHAR – ERIN E. MOUTON

Em uma noite, Indie faz um pedido para uma estrela. Ela quer muito reencontrar a sua lagosta de estimação, e também quer que sua irmã Bibi volte a gostar dela. Mas ter os seus desejos realizados pode exigir dedicação integral! Indie trabalha no teatro durante o dia, mostrando a Bibi e seus amigos o quanto ela pode ser útil. À noite, ela procura sua lagosta perdida, e para isso conta com a ajuda de seu novo grande amigo, Owen. Tudo vai bem até que Bibi e sua turma começam a pegar no pé de Owen, o maior exemplo de nerd e futuro loser. Será que Indie vai conseguir manter em segredo sua amizade com Owen? Será que, para ser uma pessoa melhor, Indie precisa mesmo ser diferente?






‘Minha vez de brilhar’ é mais um infanto-juvenil, lançado pelo selo #irado da Novo Conceito, que chegou para ganhar o coração dos pré-adolescentes/adolescentes, e confesso, o meu também. O primeiro atrativo do livro, sem dúvida alguma, é o capricho com a capa e diagramação porque chamaram a minha atenção de uma forma inexplicável e logo de cara. A história em si, também é muito bem escrita e repleta de humor, aventura e uma pitada de drama. Erin E. Mouton, ganhou o meu respeito, pois conseguiu transformar uma história ‘simples e sem muita emoção’ em algo maravilhoso.
O livro conta a história de Indie Lee Chickory, uma encantadora menina que mora no litoral, tem as manias mais malucas possíveis – como dizer o nome de todos os tipos de peixes em ordem alfabética, para se acalmar ou fazer caretas que lembrem os mesmos – e está na quinta série. Indie é uma típica moleca, do tipo que veste roupas largas, não se importa com aparências e só quer saber de brincar com sua lagosta Monty Cola – uma lagosta raríssima dourada, capturada pelo seu pai – e considerada por ela, sua melhor amiga desde que Bibi – a irmã mais velha – passou a se afastar, e se envergonhar das atitudes da caçula.

“- Socorro! – eu grito. – Vocês precisam me ajudar! Monty escapou. Ela estava com medo! Ela fugiu! – levanto a pinça de Monty, e a senhora Barkley a segura com cuidado. Lágrimas escorrem pelo meu rosto e caem como gotas de chuva na água, fazendo buraquinhos na superfície. – Não consigo encontrá-la – eu falo, enquanto mamãe me dá um abraço.” Página 30

Tudo começa com o último dia de aula de Indie, que tinha tudo para ser só mais um dia, mas que acaba sendo uma tremenda confusão do início ao fim. Indie vai para a escola, e todos começam a reclamar de seu terrível mau cheiro, o que a deixa mal, ao menos até ela descobrir a causa do mesmo. Monty Cola, se enfiou em sua mochila sem que ela percebesse, e desidratada, está correndo sério risco de vida. É quando Indie, foge da escola, do professor, dos pais e até mesmo da polícia, para chegar até a praia e salvar Monty. Tudo no entanto, acaba dando errado quando Monty Cola se assusta, perdendo uma de suas pinças, e cai no mar.
Indie não a encontra e a partir daí, sua vida começa a virar uma grande bagunça. Até que ela não vê outra saída, que não recorrer à sua estrela Alpha Piscium – a estrela mais brilhante da constelação de peixes, considerada por ela, como representação de si e de sua irmã – para fazer um pedido. O de que ela encontrasse Monty, e se tornasse uma Indie Lee Chickory melhor, para que assim pudesse recuperar a amizade de Bibi.

" – Depois que você abrir a porta, se puder, volte e me ajude a empurrar – diz Owen. Respiro fundo e empurro a porta para abri-la. A luz da lua invade o espaço como um refletor. A porta range nas dobradiças. No silêncio da noite, aquilo até soa como o rugido de um dinossauro. Meu coração se debate como um peixe fora d’água. Olho para Owen, Owen olha para mim. Nós dois olhamos para a casa. Uma luz se acende.” Página 160

Bibi sempre foi apaixonada pelo teatro e sonha em ser a grande estrela da peça Annie – uma de suas favoritas, e é por isso que, Indie resolve se infiltrar em meio à oficina de cenário para se aproximar da irmã e mostrar que pode ser útil. Porém, tudo o que Bibi quer, é chamar a atenção da menina mais popular do teatro, Kelsey, e para isto ela precisa ser perfeita. Indie com toda certeza, não estava em seus planos e ela agora, tem de mudar o estilo da caçula para conseguir alcançar seus objetivos.
E é então que Indie passa a ter uma vida dupla. De dia, ela precisa se esforçar para se vestir bem, fazer o que a irmã pede e ajuda-la com sua tão sonhada perfeição e de noite, ela tem de ir até a praia onde perdeu Monty Cola, para tentar encontrá-la com a ajuda de Owen, seu mais novo amigo e garoto mais esquisito e nerd, de todos. Esconder a amizade com Owen, se torna um de seus principais obstáculos, quando Bibi e seus amigos resolvem pegar no pé do mesmo.
Os personagens são incríveis e principalmente Indie, ela me conquistou por sua inocência e jeito único de ser. A trama toda flui muito bem e por mais que não seja tão difícil de adivinhar o que acontecerá no final, foi uma leitura que me agradou bastante. O livro em si está perfeito e eu amei o capricho da editora.

Mas e você, tá esperando o que para correr para a livraria mais próxima, e garantir o seu?

0 comentários:

Postar um comentário

Comente! Sua opinião é muito importante para nós.