[RESENHA] Enquanto a chuva caia - Christine M.


ENQUANTO A CHUVA CAIA – CHRISTINE M.

Erik não procura mais a garota dos seus sonhos. Vive em busca de adrenalina e de uma razão para continuar cumprindo tarefas obscuras. Ele sabe que é muito bom no que faz e não vê nada que possa ser melhor do que os seus dias repletos de perigo. O que Erik não esperava é que sua paixão por correr riscos seria a sua ruína. Ameaçado, ele precisa fugir para o exterior e viver disfarçado de cidadão comum, trabalhando como advogado em uma grande empresa. Marina comanda o império da família depois de seu pai ter sucumbido ao mal de Alzheimer. Precisa suportar ver os pais tombarem diante da ação implacável do tempo, enquanto ainda carrega a ferida provocada pela morte do jovem marido. Com o comando das empresas nas mãos, ela percebe que nem todas as atividades da corporação obedecem aos manuais de boa conduta. Quando ambos se encontram, presente e passado se misturam, dando início a um mistério arrebatador que os atrai a uma paixão incontrolável. No entanto, os segredos, cedo ou tarde, virão à tona e os colocarão em lados opostos da balança. Nenhum dos dois é inocente, mas será que eles aceitarão as verdades que tanto se empenham em esconder? É possível construir um futuro mesmo depois de descobrir que nesta história não há mocinha nem herói? 

Sou apaixonada pela escrita da Christine M. desde que li ‘Sob a luz dos seus olhos’, seu primeiro livro. É incrível o quanto conhecer o trabalho de grandes autores nacionais que tem vencido diariamente o preconceito do próprio leitor brasileiro com seus livros, me inspira e me faz dar pulinhos entusiasmados de alegria. Leio sempre com o intuito de aprender cada vez mais sobre a escrita, a literatura em si e os próprios autores. Mas é claro que isto se torna ainda mais prazeroso quando me apaixono pela história, pelos personagens e pela trama como um todo.
 Não foi diferente com ‘Enquanto a chuva caia’, o quarto livro publicado da Christine, que conta a história de Erik e Marina. Dois protagonistas maravilhosos mas que nada têm em comum, exceto um passado triste, responsável pela vida solitária que ambos levam. Erik é um homem sexy, irônico e que leva uma vida dupla. Marina é uma jovem viúva, CEO da empresa do pai, que está passando pelo momento mais difícil de sua vida. O que eles não imaginavam é que enquanto a chuva caia, descobririam um no outro, uma atração capaz de quebrar todas essas barreiras.

“Sinto-me como uma criança que balança os pés e gira sentada na cadeira de trabalho do seu pai. Talvez seja exatamente isso. No entanto, está feito. Sou a nova CEO da mais respeitada empresa de auditoria do Hemisfério Norte. Melhoro a postura e tento, aos vinte e cinco anos, me convencer de que colocar todo o patrimônio da nossa família nas minhas mãos não é uma absoluta loucura.” Página 15

Erik é um advogado que trabalha para a polícia como ‘queima de arquivo’ e que vive metido em confusão, aliás, essa é a sua desculpa para nunca começar um relacionamento sério com ninguém, ainda mais depois que Luciana, sua noiva, foi sequestrada. Erik não conseguiu encontrá-la e muito menos salvar a sua vida à tempo. E esta é uma culpa que o vem perseguindo por anos. Ele tem uma irmã, Clarice, que vive em seu pé se preocupando com ele e o mimando. Ela é o único vínculo que ele tem com a família. Aliás, ela é a única família que ele tem. E é quando se vê em perigo que ele resolve aceitar ‘passar suas férias’ em Nova York, para fugir de quem o estava perseguindo. Erik vai para lá, acreditando que viveria uma vida de fachada, até que as coisas se acalmassem e ele pudesse voltar para o Brasil, mas não é bem o que acontece.
Marina é uma jovem viúva de vinte e cinco anos, que vê seu mundo desabar ao receber a notícia da morte do marido Adam, um jovem médico que se alistou ao exército para lutar e acabou morto. Eles se casaram antes que ele fosse, como uma prova de que seu vínculo era forte o bastante para suportar a guerra. Ela também estava grávida e acabou perdendo o bebê. Um ciclo vicioso se inicia então, quando Marina começa à visitar o ‘túmulo’ do marido todo fim de tarde, como se assim o fosse trazer de volta. E tudo isso acontece ao mesmo tempo, praticamente, em que o estado do pai que tem Alzheimer chega em um ponto crítico e ela se vê obrigada à assumir seu lugar na empresa H & L. A empresa responsável por receber Erik, como advogado.
E é em meio à uma tempestade, em que o pneu de seu carro fura, que ela conhece Erik e descobre se tratar de um de seus funcionários. A atração que sentem um pelo outro é quase que instantânea e ali começou, sem que percebessem, uma grande história de amor que os mudaria para sempre.

"- A gente pode falar sobre isso. A gente pode falar sobre tudo, lembra? Eu posso continuar sendo seu amigo.
- Mas eu não quero ser sua amiga, Erik. Eu quero ser a garota espirituosa, inteligente e sensual. Quero que você conheça a minha parte boa, porque quando eu estou contigo é como se só ela existisse. Não quero ser a jovem viúva com o pai doente que visita o cemitério todos os dias para evitar crises de ansiedade e pânico. Eu quero soltar meu cabelo, tirar a roupa para você e te fazer acreditar, que está com a melhor mulher do mundo.” Página 119

‘Enquanto a chuva caia’ para mim soou mais como um romance/suspense encantador que me prendeu desde suas primeiras páginas. A leitura é leve e conseguiu despertar em mim todas as emoções que os personagens emitiam ao longo da leitura. Me apaixonei por cada frase, cada diálogo. Christine M. conseguiu escrever de modo à não deixar dúvida alguma sobre seu talento.  
Os protagonistas são extremamente cativantes e Erik se consolidou como um dos meus ‘mocinhos/vilões’ favoritos. O legal desta incrível história, é que Christine nos mostra que todos nós temos um pouco de ‘vilão’ dentro de nós. E a verdade é realmente essa, nem todos nós somos completamente bons ou completamente maus. Isto ficou bem claro no livro. Marina e Erik são perfeitos um para o outro e se completam à sua própria maneira.
Não encontrei erros de revisão no livro e pelo contrário, só tenho elogios à proclamar. Christine começou cada capítulo com um trecho de uma música nacional diferente, o que não só deu aquele ‘tcham’ nos capítulos como também agregou ainda mais valor à obra. E quanto à capa, nem se fala, incrível mesmo! Conseguiu transmitir toda a essência do livro em uma única imagem. Estou encantada!

Tá esperando o que para embarcar nesse delicioso romance?


1 comentários:

  1. Já li muitas resenhas ,mas vc foi profundamente no sentido de cada personagem,adorei ,já li as quatro obras desta escritora ,para mim ela em breve vai ver um de seus livros virar filme ...é assim que a gente se sente lendo os seus livros,é como se uma grande tela estivesse na nossa frente! adorei a resenha e sou fã de Christine M ;)

    ResponderExcluir

Comente! Sua opinião é muito importante para nós.