[MOVIES FOR FUN] A Culpa É das Estrelas


Já faz um tempinho que fui ver 'A Culpa é das estrelas' no cinema. Procrastinei esta resenha, o máximo que pude, porque na verdade não sinto que todas as emoções que senti ao assisti-lo, possam caber nesta página. Não chorei horrores, como a maioria das pessoas na sala do cinema. Não consegui chorar, mas meus olhos se encheram de lágrimas diversos momentos durante o filme. Acho que é porque, a história de Hazel e Gus não me deixou triste. Pelo contrário, me deixou encantada e feliz, por imaginar a existência de um amor tão grande e tão bonito.
É uma história de dois garotos com câncer, mas não sobre câncer. Isso é dito o tempo inteiro pelos personagens, seja através de suas ações ou até mesmo através de suas juras de amor.




Hazel Grace Lancaster, é uma garota de dezessete anos, que aos treze foi diagnosticada com câncer. Na época ela não tinha muita probabilidade de sobrevivência mas graças à uma droga experimental ela tem conseguido ter uma vida quase normal. Exceto que ela precisa andar por aí com um cilindro de oxigênio, dentro de uma mochila, para respirar melhor.
Por conta disso, seus pais acabam sendo super protetores o tempo todo, e qualquer coisa que Hazel faça é um motivo de preocupação. Por isso, quando a mãe percebe que Hazel não para de ler o mesmo livro - Uma Aflição Imperial -, e a não querer mais sair de casa, acaba pedindo para que ela entre em um grupo de apoio por achar que ela está deprimida.
É lá que Hazel conhece Augustus Waters, um garoto de dezenove anos, que já teve câncer e está lá à pedido de Isaac, seu melhor amigo e colega de Hazel no grupo.




Augustus ou Gus, como o conhecemos, aos poucos vai mostrando um novo mundo à Hazel. Desde o primeiro instante, ele se mostra interessado pela garota que ela é e não pela história de seu câncer. Com suas tiradas sarcásticas e bom humor ele conquista à todos. Ele mostra à Hazel o quanto ela é bonita e o quanto ela pode ser feliz, superando seus próprios limites e dificuldades. Inclusive, chega à realizar o grande sonho de Hazel, de conhecer seu autor favorito, Peter Van Houten em uma viagem à Amsterdã.




O filme é muito emocionante e surpreende por tocar em um assunto tão delicado quanto à doença, de uma maneira tão leve e descontraída. Os personagens não deixam o câncer, ou suas derrotas, tomarem conta de suas vidas, mas admitem seus problemas diante disso. E os diálogos, são tão fofos e apaixonantes que fica difícil você não se encantar. Os atores escolhidos para o papel, a linda Shailene Woodley e o fofo Ansel Elgor, representaram muito bem os papéis e merecem os parabéns!
Então, duvido que você ainda não tenha ouvido alguém falar sobre o filme, ou que não tenha assistido, mas te digo que vale muito a pena. É sempre bom ver algo bom, algo motivador em meio à esta rotina entediante do dia-a-dia.

E ai, curtiram?

0 comentários:

Postar um comentário

Comente! Sua opinião é muito importante para nós.