Todos os meus amigos são super heróis - Andrew Kaufman


TODOS OS MEUS AMIGOS SÃO SUPER HERÓIS ANDREW KAUFMAN

Existem aproximadamente 249 super-heróis na cidade de Toronto. Tom não é super-herói, mas conhece vários: O Anfíbio, A Pilha de Nervos, A Bronca, O Homem Impossível, O Minigigante, Daquiapouco, A Doma-Rapaz, entre outros. Tom casou-se com uma super-heroína, A Perfeccionista, cujo poder é tornar tudo perfeito. No dia do casamento, Hipno, supervilão e ex-namorado da Perfeccionista, hipnotizou-a: Tom ficou invisível, mas somente aos olhos dela. Depois de seis meses sem notar o marido, a Perfeccionista está prestes a pegar um avião para recomeçar a vida em Vancouver. É a partir de uma bela história de amor que Todos os meus amigos são super-heróis constrói um universo onde amizade, romance, profissões e cotidianos muito parecidos com os nossos ganham uma fina pátina de superpoder - ou mostra que superpoderes são apenas questão de ponto de vista. Tom está desesperado para que sua amada Perfeccionista volte a enxergá-lo e amá-lo. Como resolver isto sendo o único ser humano sem poderes dessa história?

Bom, o que dizer desse mais novo lançamento da Leya? Um pouco confuso, para ser mais exata, porém como diz o ditado ‘no final, tudo se encaixa’ e é por isso que o meu conceito à respeito da obra de Andrew Kaufman melhorou um pouco com o passar das páginas.
‘Todos os meus amigos são super heróis’ com toda certeza é diferente de tudo o que eu já li, porque? Porque mistura romance, ficção e auto-ajuda de um jeito um tanto peculiar e engraçado. Afinal, os ‘heróis’ de Andrew Kaufman tem os super poderes mais ordinariamente comuns; os poderes que querendo ou não, todos nós, ‘meros mortais’ possuímos. Para exemplificar um pouco essa minha explicação, dá só uma olhada no nome de alguns dos super heróis da história;  A Perfeccionista, Quemsabe, O Ouvido, A Imitona, O Inverso, O Sr. Oportunidade e por ai vai. Os heróis são muitos e neste mundo em que é comum ter super poderes, Tom, o único ‘normal’ da história, acaba sendo visto como o mais ‘anormal’ de todas as outras personagens.


“ O Anfíbio apresentou Tom a todos os seus amigos. Todos os amigos do Anfíbio eram super heróis. Os amigos do Anfíbio viraram os amigos de Tom. Hoje, todos os amigos de Tom são super heróis. Mas como todo mundo tem um superpoder, e todo mundo que eles conhecem tem superpoder, eles não acham que ter superpoder é especial. Eles acham que o especial é não ter superpoder.”
Página 22, 23

A história começa quando, no casamento da Perfeccionista e de Tom, Hipno - ex namorado da Perfeccionista - aparece e a hipnotiza para que Tom se torne invisível aos olhos dela. Assim, Tom, precisa bolar um plano para fazer com que a sua agora esposa, o enxergue, mas esta não é uma tarefa tão fácil assim.
Muito menos agora que a Perfeccionista está decidida a começar a sua vida do zero, viajando para Vancouver, por acreditar que Tom na verdade a abandonou. E é durante o voo dela para o seu mais novo destino, que Tom precisará quebrar a hipnose de Hipno. Ele só tem algumas horas, antes que Perfê - como a chama - esqueça dele por completo.

" A cadeira da direita não está vazia. É ali que Tom está sentado. Para a perfeccionista, Tom é invisível. Ele tenta convencê-la de que não é invisível desde 14 de agosto, a noite do casamento, seis meses atrás. Tom já tentou sussurrar e gritar. Já telefonou, mandou fax, telegrama e E-mail. Amigos em comum tentaram convencê-la de que Tom não é invisível. Eles enxergam Tom. Ela não. Tom só é invisível para a Perfeccionista.” Página 11

Só fui entender o que o autor realmente pretendia com esta história, quando já estava na metade da leitura. Foi analisando as personagens criadas pelo autor que percebi que a intenção do mesmo nada mais era que mostrar aos seus leitores que todos nós temos superpoderes e que as vezes até mesmo as nossas fraquezas podem ser consideradas como algo extremamente ‘poderoso’. Muitos dos super heróis de Andrew Kaufman conseguiram os seus poderes devido à algum trauma sofrido, como um coração partido, uma desilusão e entre outros. Todos os super heróis passaram por momentos que nós encaramos diariamente. E todos viram isto como forma de fazer surgir ai um superpoder.
Parece confuso, porém, garanto à vocês que é esclarecedor e quando você se dá conta, já está ali, analisando os pensamentos do autor. Foi uma leitura que eu sinceramente, não esperava que fosse gostar. Achei tudo meio confuso no início e não fosse essa ‘conexão’ dos fatos no fim da trama, talvez eu não tivesse gostado MESMO da leitura.
Acho que merece sim a minha indicação, porque é um livro com uma ótima ‘moral da história’, por assim dizer. O design da capa e as ilustrações ao longo das páginas são brilhantes.  








0 comentários:

Postar um comentário

Comente! Sua opinião é muito importante para nós.