[RESENHA] Enfeitiçadas - Jessica Spotswood



ENFEITIÇADAS – JESSICA SPOTSWOOD


Antes do alvorecer do século XX, um trio de irmãs chegará a idade adulta, todas bruxas. Uma delas terá o dom da magia mental e será a bruxa mais poderosa a nascer em muitos séculos: ela terá poder suficiente para mudar o rumo da história, para suscitar o ressurgimento do poder das bruxas ou um segundo Terror. Quando Cate descobre esta profecia no diário de sua mãe, morta há poucos anos, entende que precisa repensar seus planos. Qual será a melhor opção: servir a Irmandade, longe dos olhos vigilantes dos Irmãos Caçadores de Bruxas, aceitar uma proposta de casamento que lhe garanta proteção e segurança ou abandonar tudo e viver um grande amor proibido?
Prepare-se para se encantar com os jovens pretendentes de Cate, abominar o ódio e a repulsa que os Irmãos dedicam a meninas e mulheres, e aguardar ansiosamente pela sequência de As Crônicas das Irmãs Bruxas.



Enfeitiçadas é de longe um dos melhores lançamentos da Editora Arqueiro até agora. Depois da saga do Tigre, a minha favorita até hoje, ‘As crônicas das irmãs bruxas’ tem tudo para ganhar espaço na minha lista de favoritos. A escrita de Jessica Spotswood era desconhecida por mim e confesso que amei o modo como ela criou esta nova história, usando criatividade ao extremo para fazer com que a leitura fosse mais do que agradável, fosse excelente!
O livro conta a história das irmãs Cahill; Cate, Tess e Maura. Nascidas bruxas em meio à um tempo em que tudo o que é desconhecido pelos irmãos da fraternidade, é considerado pecaminoso e mundano. As bruxas foram derrubadas do poder e a fraternidade o tomou e agora controla tudo na cidade. As mulheres são subjugadas e obrigadas a ser nada menos que donas de casa puras, religiosas e obedientes aos seus maridos. Se veem um traço de independência sequer, ou alguma característica que não os agrade nas mesmas, os irmãos as mandam para um hospício ou um navio-prisão, onde o sofrimento se estenderá até o resto dos seus dias. E é em meio à esse cenário que Cate tenta sobreviver sem levantar suspeitas, escondendo suas irmãs dos olhos cruéis dos irmãos, só que isto é bem mais difícil do que parece. 

“A Fraternidade é bastante firme em relação ao papel das mulheres. Devemos ser vistas, e não ouvidas. Os homens querem esposas meigas e complacentes, não inteligentes e cheias de opinião. Vocês precisam aprender a ser mais agradáveis, Cate.” Página 64

Cate, por ser a mais velha de suas irmãs e devido à promessa que fez à sua mãe antes da mesma falecer, é super protetora e toma para si toda a responsabilidade sobre suas irmãs, já que sua mãe não confiou nem ao menos ao seu pai o segredo da magia que as rodeava, ela se vê responsável por tudo que vier a acontecer. E muitas vezes, ou na verdade, na maioria das vezes coloca as necessidades de Tess e de Maura acima das suas. Como sua mãe certamente faria.
Isso acaba fazendo com que elas se vejam reclusas da sociedade e virem o alvo das fofocas das mulheres da cidade. Afinal, está chegando a hora de ela e Maura declararem suas intenções à fraternidade, escolher entre a irmandade e um casamento. E é pensando nisso que seu pai, que mal fica em casa, contrata Elena – uma governanta intrometida que promete educar as meninas e fazer com que estejam preparadas para o seu futuro.
Cate só não esperava que Paul – seu melhor amigo de infância, voltasse para a cidade com intenções tão claras de toma-la em casamento e muito menos que fosse apaixonar pelo então jardineiro da família Finn.

"Antes de o grande templo de Nova Londres cair, o oráculo anunciou uma última profecia. Ela previu que, antes do alvorecer do século XX, um trio de irmãs chegará à idade adulta, todas as bruxas. Uma delas que terá o dom da magia mental, será a bruxa mais poderosa a nascer em muitos séculos: Ela terá poder suficiente para mudar o rumo da história, para suscitar o ressurgimento do poder das bruxas ou o segundo terror." Página 74

E como se não bastasse, Cate tem que lidar com a profecia recém descoberta e com os mistérios dos relatos do diário da mãe. Afinal, o que ela deverá fazer? Ninguém sabe como ajuda-la e ela terá que descobrir sozinha.
As personagens de Enfeitiçadas, principalmente as irmãs Maura e Tess, bem como a própria Cate são maravilhosamente bem descritas. Diferentes entre si e que tem um relacionamento tão complicado como quaisquer outras irmãs. Situações como esta fazem com que o leitor se identifique com o livro, como no meu caso.
O livro é bem fininho, tem só 264 páginas então o li rapidinho. Estou ansiosa pela continuação da história porque a autora deixou muitas pontas soltas que espero que sejam solucionadas. Concluindo, foi uma ótima leitura e que com toda certeza me deixou ansiando por mais. O kit que a editora enviou foi super caprichado e atencioso, amei a ideia do chapéu de bruxa. A arte da capa não poderia ser mais perfeita, estou apaixonada!






0 comentários:

Postar um comentário

Comente! Sua opinião é muito importante para nós.