[RESENHA] Azul da Cor do Mar - Marina Carvalho



AZUL DA COR DO MAR – MARINA CARVALHO


ACASO, DESTINO ou LOUCURA? No caso de Rafaela, Pode ser tudo isso junto. Para alguém como ela, nada é impossível. Rafaela sonha desde a adolescência com o garoto que viu uma vez, perto do mar, carregando uma mochila xadrez... A idéia fixa não a impediu, porém, de ser uma menina alegre e muito decidida. Ela quer ser jornalista, e seu sonho está se concretizando: Rafaela Vilas Boas (um nome tão imponente para alguém tão desajeitado) conseguiu um estágio no melhor jornal de Minas Gerais. Mas, como estamos falando de Rafa, alguma coisa tinha que dar errado. O jornal é mesmo incrível, mas seu colega de trabalho, Bernardo, não é a pessoa mais simpática do Mundo. Em meio a reportagens arriscadas – e alguns tropeços -, Bernardo acaba percebendo, contra a sua vontade, que Rafaela leva jeito para a coisa... E que eles formam uma dupla de tirar o fôlego. Mas e a mochila? E o garoto, o envelope, as cartas? Um dia a estabanada Rafaela vai ter que se libertar dessa obsessão. 


Odeio admitir, mas Azul da cor do mar foi o primeiro livro que li da Marina Carvalho e me arrependo muito por não tê-la conhecido antes... Isso porque, este foi um dos melhores chick lits que já li e porque a escrita dessa autora nacional mineirinha me surpreendeu bastante, e positivamente, é claro! Gente, este livro se encaixou tanto na minha vida que por um momento, me senti a própria Rafaela Vilas Boas. Então diferente das demais resenhas, já vou começar esta, super indicando o livro da Marina, é D-I-V-I-N-O!!!
O livro conta a história da Rafa; último ano da faculdade de jornalismo, excelentes notas e uma oportunidade e tanto, afinal, ela conquistou um estágio num dos maiores jornais do estado, a Folha de Minas. Ela finalmente está vivendo a vida que sempre quis e agora mais do que nunca, pode mostrar aos pais e aos irmãos que fez sim uma boa escolha ao querer ser jornalista.
Só que nem tudo é um mar de rosas e disso Rafa tem certeza ao conhecer o seu monitor de estágio; Bernardo. Ele pode ser maravilhosamente lindo, ter um ótimo currículo e reconhecimento no ramo do jornalismo investigativo, mas ainda sim é um homem bruto, egocêntrico, cara de pau, grosseiro e que não está nenhum pouco feliz em ter uma estagiaria em seu pé. E como se não bastasse, Rafa tem que lidar com a sua velha paixão; o menino da mochila xadrez, se intrometendo em sua vida amorosa, mesmo que indiretamente. Uma vez ela o viu, quando ainda era só uma criança, na beira da praia em Iriri, e desde então ele vive em seus sonhos... Não deixando que ela se apaixone e tenha um relacionamento de verdade com mais ninguém.

“ Garoto da mochila xadrez, o que esconde sob o mar?
Daria um dente para saber, ou um braço, meus cabelos, tudo!  O que há naquele papel? Atrás do seu límpido olhar? Eu morreria para descobrir. E acabar com meus anseios. Juro! Reviraria o mundo para alcançar você.“
Página 120

O que Bernardo e Rafa não podiam esperar era que Lu – sua editora chefe – fosse achar algo de tão positivo em suas brigas, afinal, eles trabalham muito bem juntos e o sucesso do jornal quanto à aquisição de Rafaela Vilas Boas, só aumenta. As aventuras por qual os dois passam para conseguir matérias para o jornal são super divertidas e aos poucos sem que percebam, eles vão se aproximando mais e mais um do outro.
Por outro lado, Rafa é a única menina de três irmãos; Gustavo, Ricardo e Augusto. Mora com os dois últimos em Belo Horizonte e sua vida é um tremendo caos, afinal, eles são bagunceiros, super protetores e crianções. São os personagens que divertem a história  e dão certo humor em todos os capitúlos.

"A vida é engraçada e gosta de nos pregar peças. Passei anos fantasiando com o tal garoto, desejando que ele se materializasse diante de mim como num passe de mágica. Acabei apaixonada por um cara de carne e osso – e olhos azuis penetrantes – o qual pensei que jamais fosse retribuir meu sentimento. E então, bum! Acontece. E é muito melhor do que todas as fantasias que criei.”
Página 284

Li os últimos capítulos bem devagar, para tentar aproveitar e prolongar o máximo o desfecho da história de Rafa e Bernardo... Nunca me senti tão conectada à um livro nacional, como aconteceu com o da Marina. É tão perfeito que dá vontade de chorar. Ok, não é pra tanto, afinal, mais ri que chorei.
As personagens de Azul da cor do mar são todas divertidas, e me amarrei em todas elas! Gostei bastante da protagonista porque ela acabou sendo mais real do que todas as outras. Sempre estabanada, curiosa, medrosa e ao mesmo tempo, a mais corajosa. Marina, pelo que percebi, tem o dom de criar personagens inesquecíveis.
A escrita da autora é divertida e ao mesmo tempo poética....  E com toda certeza quero ler mais livros dela. Afinal, isso só prova o quanto a literatura nacional merece ser valorizada. Quanto à arte da capa, e do brinde – um caderno personalizado – parabéns NC! Nota 10. Definitivamente.






2 comentários:

  1. Kate,

    vou ter q colocare na sua conta, viu? Por causa da sua resenha, vou ter q comprar esse livro!!! E o menino da praia? Cadê ele? Ele apareceu? Ai, que curiosidade!!!

    Tb nunca li nada da Marina, mas fico super feliz de ver autores nacionais em ediotras grandes e com livros muito bons com esse parece ser.

    PArabéns pela resenha!

    Adriana Medeiros
    minhavelhaestante1.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aiii eu acho que vale super a pena você comprar viu Drica?
      O livro é excelente e eu não posso te dizer mais do garoto da mochila xadrez se não eu estrago a surpresa hahaha Eu amo ler livros nacionais por causa disso, porque eles tão começando a aparecer em massa nas melhores editoras e estão arrasando!

      Beijão e obrigada viu? Amei o comentário!

      Excluir

Comente! Sua opinião é muito importante para nós.