[RESENHA] A viagem do tigre - Colleen Houck


A VIAGEM DO TIGRE – COLLEEN HOUCK
  
  
Perigo. Desolação. Escolhas. A eternidade é tempo demais para esperar pelo verdadeiro amor? Em sua terceira busca, a jovem Kelsey Hayes e seus tigres precisam vencer desafios incríveis propostos por cinco dragões míticos. O elemento comum é a água, e o cenário de mar aberto obriga Kelsey a enfrentar seus piores temores. Dessa vez, sua missão é encontrar o Colar de Pérolas Negras de Durga e tentar libertar seu amado Ren tanto da maldição do tigre quanto de sua repentina amnésia. No entanto o irmão dele, Kishan, tem outros planos, e os dois competem por sua afeição, além de afastarem aqueles que planejam frustrar seus objetivos. Em A viagem do Tigre, terceiro volume da série A Saga do Tigre, Kelsey, Ren e Kishan retomam a jornada em direção ao seu verdadeiro destino numa história com muito suspense, criaturas encantadas, corações partidos e ação de primeira.




Honestamente, Colleen Houck é uma das melhores – se não a melhor, autora de YA que eu já conheci. A Maldição do Tigre se consolidou definitivamente como a minha série de ficção favorita. Colleen não somente escreve livros, escreve magia.
Em A viagem do tigre – terceiro livro da série, Kelsey nossa protagonista está lidando com diversos problemas; o terrível senso de heroísmo de Ren, as aventuras cada vez mais intensas na busca dos presentes da deusa Durga e a confusão de sentimentos que sente por Kishan. Um turbilhão de emoções a estão afrontando e a série se encontra quase que em um clímax.
O nosso trio parte mais uma vez em uma de suas buscas, desta vez tendo como objetivo o colar de pérolas negras de Durga. E enquanto que Ren está sofrendo por uma amnésia terrível após ter sido sequestrado/torturado/capturado por Lokesh, Kishan está lutando pelo coração de Kelsey.

“Essa nova relação de amizade era meio esquisita. Eu não sabia muito bem como falar com este Ren diante de mim. Queria que ele fosse igual ao meu Ren. Em muitos aspectos ele era. Mas como se pode ser a mesma pessoa com um grande pedaço da vida faltando?”

A busca – em minha opinião, milhões de vezes mais emocionante que todas as outras – desta vez envolve os cinco dragões míticos; azul, vermelho, dourado e verde e eles necessitam não só vencê-los como também vencer os perigos que envolvem o caminho que levará à cada um deles.
E em relação ao triângulo amoroso, digo apenas uma coisa, A viagem do tigre não é apenas sobre Ren ou Kishan. É um equilíbrio dos dois mundos, digamos assim, e Kelsey não só está em dúvida sobre quem escolher, ela também está em dúvida sobre o que cada um tem a oferecer para o seu futuro incerto. Como disse Phet, os dois são uma boa escolha. Os dois a fariam feliz. Mas ela precisa de uma certeza. E é claro, não quer magoar nenhum dos dois.

“Você me tirou a coisa mais importante do mundo! Arrancou o meu coração, o esmagou nas mãos e deu para os macacos brincarem. Eu não devia ter confiado em você! Que idiota eu fui de acreditar que gostava mesmo de mim. Que se importava comigo. Que tínhamos que ficar juntos. Você não passa... não passa de um travesseiro quadrado. E recentemente descobri que gosto dos redondos!”

Foi em A viagem do tigre também, que conheci um pouco mais de Lokesh e entendi melhor os seus planos. Lokesh é um vilão realmente intrigante e todas as cenas em que a autora o cita, são instigantes e incrivelmente bem escritas. Colleen não insere na história nenhum fato inútil, todos os fatos citados, por menores que sejam acabaram fazendo um certo sentido no final.
Os personagens principais e coadjuvantes são maravilhosos e estão desenvolvendo com o passar dos livros e das aventuras, é algo perfeitamente perceptível. Estou adorando acompanhar o crescimento de Kelsey. E embora Ren tenha sofrido um surto de personalidade, devido à amnésia, gostei da maneira com que a autora o inseriu nos momentos mais inoportunos; em sua maioria, momentos em que Kelsey e Kishan estavam juntos.
Os cinco dragões, por incrível que pareça, tiveram uma grande participação na minha escolha deste como sendo o meu livro favorito da série, pois foram simplesmente os melhores ‘obstáculos’ da história. Foram eles que colocaram nossos protagonistas na maioria das situações de perigo e cada um, com sua particularidade, me fez por um momento, imaginar como seria se esta história realmente fosse verdade.

“Não. Tudo bem. Agora eu compreendo. Eu não estava pronto para ter um relacionamento naquela época. Não tinha nada a oferecer. Não para uma mulher deste tempo. Mas Shangri-lá me deu algo mais valioso do que mais seis horas por dia como homem. Me deu esperança. Uma razão para acreditar. Por isso, esperei. Aprendi a ser paciente. Aprendi a viver neste século. E agora... o mais importante, acho que finalmente aprendi o que significa amar alguém.”

Sempre me solidarizei com Kelsey à respeito de estar em dúvida sobre os dois irmãos, afinal, são OS irmãos. Seu cavalheirismo e amor por Kelsey é evidente, e em A viagem do tigre, eles se mostram ainda mais perfeitos. – suspiro.
Concluindo, a continuação da série não me desapontou nenhum pouquinho e pelo contrário, estou satisfeita e querendo mais. A arte da capa não deixou a desejar, a editora Arqueiro está de parabéns! Revisão e diagramação excelentes. Mas e ai galera? Quem ai vai, quer ou já leu o terceiro volume da série? Me digam nos comentários!
Beijinhos,





0 comentários:

Postar um comentário

Comente! Sua opinião é muito importante para nós.