Cinquenta Tons Mais Escuros - E L James




Sentindo falta dos comentários... E falando nisso, tenho uma ótima proposta para vocês, hoje! Como estamos falando de Cinquenta Tons, que tal concorrer á mimos da trilogia? Vocês vão ver uma fotinha dos mimos lá embaixo, e para concorrer é só comentar na resenha! Nada de formulários galera, e é até um apelo para que vocês voltem a participar do Drunk ATIVAMENTE. Aproveitem a resenha, que aliás, foi muito tensa de se escrever. [rindo]





Cinquenta Tons Mais Escuros - E L James



Sinopse: Assustada com o lado obscuro do belo e atormentado Christian Grey, Anastasia Steele põe um ponto final em seu relacionamento com o jovem empresário e decide se concentrar em sua carreira: ela acaba de conseguir um emprego em uma editora de livros de Seattle.
Mas o desejo que sente por Christian ainda domina seus pensamentos e, quando ele propõe reatarem o namoro, ela não consegue resistir. Por amos a Ana, Christian está disposto a enfrentar seus demônios interiores. Em pouco tempo, porém, ela descobre segredos do passado de seu amargurado e dominador parceiro que jamais imaginou serem possíveis, e se vê obrigada a tomar uma importante decisão. 


Resenha por Kate: Essa, com toda a certeza, é uma das resenhas mais difíceis que já escrevi... Pois, ao mesmo tempo em que me encontro perdidamente apaixonada pela continuação da trama de E L James, também me sinto como se tivesse sido enrolada durante as suas 485 páginas. Porque apesar de ser uma boa história, Cinquenta Tons Mais Escuros poderia muito bem ter sido contado em apenas umas 200, já que não há muito assunto em que se trabalhar... 

Em seu segundo livro, começamos por ver Anastasia Steele sofrendo com a sua recente separação de Christian. Ela havia admitido para ele que não seria capaz de dar conta de ser sua submissa e muito menos da coisa toda do BDSM (Bondage, Disciplina, Sadismo e Masoquismo) mas, este sofrimento, apesar de descrito com muita dramaturgia por E L James acaba que por não durar muito porque em muito menos de uma semana Ana já está de volta aos braços de Christian Grey. O que acabou que por me passar uma impressão completamente 'superficial' da personagem; já que um fator que poderia muito bem ter tido um desenvolvimento melhor, acabou soando desnecessário. 


E como Christian, também 'sofreu horrores' com a separação, parece disposto á tudo para que Anastasia nunca mais vá embora; até mesmo a se esquecer do contrato e do seu estilo de vida sombrio para aderir de vez ao sexo baunilha e á uma relação instável com a amada.


"_ Senti sua falta... de verdade, Christian. Os últimos dias têm sido... difíceis - engulo em seco, e um nó se incha em minha garganta à medida que me lembro da minha angústia desesperada desde que o deixei.

A última semana foi a pior fase da minha vida, a dor é quase indescritível  Nada nunca chegou perto. Mas a realidade bate à porta, e me traz de volta.
_ Nada mudou. Eu não posso ser o que você quer que eu seja - espremo as palavras através do nó na garganta. 
_ Você é o que eu quero que seja - diz ele, a voz enfática." Pág. 34, 35. 

Apesar de discordar em alguns pontos, em relação aos primeiros capítulos do livro, confesso que me encantei como o modo em que Christian Grey passou a ser 'o personagem foco' ao longo da história. Em Cinquenta Tons de Cinza, senti falta disso, porque Anastasia não tem quase nenhuma história para contar e no entanto recebeu mais atenção do que deveria por parte da autora. O que acabou deixando Christian - o personagem mais intrigante da trilogia - de lado. Mas E L James pareceu perceber isso á tempo e acabou que por dedicar mais da sua narrativa ao maravilhoso CEO. Muitos mistérios acabaram sendo revelados e melhor desenvolvidos, graças á isso; O porquê de Christian dizer 'ser fodido em 50 tons', o porquê de ele não gostar de ser tocado e os motivos pelos quais aderiu ao BDSM. 


Creio que não preciso dizer, que o meu amor por Christian aumentou ainda mais, preciso? 


Um dos focos aliás, de 50 Tons Mais Escuros é de fato, o amor que Christian sente por Ana. Ele é capaz de tudo por ela, e isso vai ficando claro com o passar das páginas. Porém, para a felicidade de muitos fãs, as características principais do Dominador não foram esquecidas; a possessividade, a mania por controle, o ciúme em excesso... 


"_ Não quero perder você, Christian.

 _ Não sou seu para você perder, Elena. - responde ele.
 _ Não foi o que eu quis dizer.
 _ E o que você quis dizer? - pergunta ele bruscamente, irritado.
 _ Olhe, não quero discutir com você. Sua amizade significa muito para mim.    Vou deixar Anastasia em paz. Mas estarei aqui se você precisar de mim. Sempre." Pág. 257

Não há uma 'trama principal' na obra, já que Cinquenta Tons é repleto de pequenas tramas que acabam que por se resolverem aos poucos. Como por exemplo, o fato de Jack Hyde - o chefe de Ana, estar dando em cima dela e as aparições da ex submissa de Christian, Leila, estar perseguindo a mesma. 

Algumas foram bem desenvolvidas e outras não, mas tudo bem, vamos dar 'o benefício da dúvida' á E L James.

Nesse segundo livro, também notamos certo amadurecimento dos personagens mas ainda assim, os secundários foram novamente deixados de lado... Mais um pecado cometido pela nossa autora. E quanto ás cenas de sexo, são bem mais comportadas que as do primeiro. Bem mais baunilha, por assim dizer. E creio que E L tenha exagerado um pouco na dose, já que, ao longo da obra todas as descrições passam a ficar maçantes e repetitivas demais.


Finalizando, a estética da obra, estava maravilhosa e a revisão nem tão boa assim - encontrei diversos errinhos ao longo da leitura. Mas não se apeguem apenas ás criticas negativas, porque esta trilogia tinha de ser boa para repercutir do modo como repercutiu no mundo, não estou certa?

Eu adorei a obra, apesar de não tanto, quando da primeira... E vocês estão convidados á dar a sua opinião!


Capa: 5
Enredo: 4
Desenvolvimento da História: 4

0 comentários:

Postar um comentário

Comente! Sua opinião é muito importante para nós.