As Fanfics do Momento: Sem Lembranças

Olá, queridos! Entediados nessa noite de quinta-feira? Que tal conferir a indicação de fanfic da semana? Hoje nós temos uma história com um tema muito interessante. Chama-se Sem Lembranças e é da autora Esther Scott. Como o meu dia hoje está um pouco cheio, e já foi uma luta para conseguir esse tempinho aqui, vou postar apenas a sinopse oficial e a entrevista. Garanto que vocês vão gostar!
As paredes branco gelo, médicos e pacientes passando por ali, mostravam que definitivamente não era um local muito apropriado para se começar um romance. Ainda mais quando se esconde um segredo que não pode ser revelado no momento. 
Ela se apaixonou e foi correspondida, mas ele não poderia deixar as coisas serem assim. O seu futuro já estava definido e vê-la sofrer nunca foi uma opção. Agora ele tem a chance de sair da vida dela sem causar dor e lembranças e é o que fará. Mas nem tudo é como planejado. O destino nunca foi tão frio e áspero. “Se tivesse quinhentas vidas, não tenha nenhuma dúvida que em todas eu a amaria”.

Entrevista
Esther, a sua história, apesar de ainda no começo, apresenta um enredo bem interessante no tema "amnésia". Como surgiu essa ideia?
Eu sempre tive vontade de escrever uma história com este tema, mas não fazia porque já tinha lido muitas outras fanfics abordando esse assunto, então acabei desistindo por um tempo. A vontade surgiu novamente quando assisti o filme “Brilho eterno de uma mente sem lembranças”, apesar de não ter muita relação com a minha história, foi daí que eu comecei a tirar a inspiração. Algumas ideias passadas foram juntando-se com o filme e acabou formando a fanfic “Sem Lembranças”.

Como se deu a composição dos seus protagonistas? Alguma semelhança com você mesma?
Os protagonistas surgiram de forma bem natural. Com o desenvolvimento da fanfic, fui adaptando os personagens à história. Sempre que escrevo tento não fazer que haja uma relação minha com os personagens, mas acredito que ainda assim fique alguns indícios. Como exemplo, o jeito que a principal é ligada ao passado; O jeito do principal de sempre “deixar as coisas rolarem”, e acreditar que se fosse para ser, seria.

Que surpresas você planeja para o desenvolvimento da história nos próximos capítulos?
Nos próximos capítulos passará um bom tempo desde que ela foi embora, e eles acabam se encontrando em situações diferentes da última vez. Ela com um jeito mais “pra frente”, querendo saber mais dele, já que ela não se lembra. E ele, mais reservado, sem querer se envolver com a protagonista novamente. Lógico que o envolvimento acontece novamente, porém ainda falta um tempo. O romance acaba sendo bem diferente do anterior, já que os dois estão mudados.

Você sempre escreveu fanfics ou decidiu começar depois de descobrir o FFOBS? Como tem sido  essa experiência?
Eu sempre gostei de escrever e sempre tive ideias, geralmente por causa de algum filme ou livro, que eu via/lia e achava que se eu mudasse tal ponto, ficaria melhor. Conheço o site FFOBS desde que foi lançado, mas nunca tinha enviado nada por medo. Acabei escrevendo uma história, mas não mandei para o site, foi para uma comunidade do orkut. Cheguei a finalizar ela, porém esses dias estava procurando e não achei mais. Foi totalmente perdida, acredito eu.
A experiência de mandar para o FFOBS é bem diferente, por ter um lado mais “técnico” e ser bem maior. Agora, as pessoas que lêem são bem mais exigentes, e isso acaba repercutindo de maneira bem diferente da outra fanfic que eu postei. Diferente e muito boa, devo realçar.

Por último, mande uma mensagem aos leitores do Drunk Culture que não conhecem a sua fic dizendo porque acha que eles deveriam conhecê-la.
Eu, que sempre visito o Drunk Culture, fiquei muito feliz com a oportunidade de aparecer aqui e falar um pouquinho sobre a fanfic. Todas as indicações feitas, são muito boas. Acredito que “Sem Lembranças” pode receber um voto positivo só por isso. Quero convidar todas para irem lá no FFOBS lerem. Aceito comentários, sugestões e muitas outras coisas. 
Ainda está no começo, e a parte que eu considero mais “envolvente” está chegando. Dêem uma oportunidade, e acompanhem esta história que eu gosto tanto de escrever. Obrigada novamente, e um beijo para todos vocês.

E então, gostaram, amaram ou adoraram? Para compensar a falta de uma resenha mais explicativa, vou postar alguns trechinhos para vocês sentirem a essência dessa história:
A cicatriz não havia fechado, ela estava ali. A dor não estava passando com o tempo, ela só piorava. Eu mal me lembrava mais de seu rosto, do timbre da sua voz e do som da sua gargalhada, seu rosto já não era vivo com eu sempre me lembrava, ele tinha falhas, brancos, eu não me recordava mais. Eu estava o apagando da memória e não lembrar dele era o maior dos pecados que eu poderia cometer. 
 - Eu sei que a notícia não é das melhores. Mas [Protagonista] irá precisar de muitos cuidados neste começo, eu sei que é difícil olhar para uma pessoa que conheceu a vida inteira e pensar que ela não se lembra de nada. Com o tempo tanto ela quanto vocês conseguirão acostumar-se com a situação e as coisas irão melhorar com o passar do tempo. Ela voltará a fazer as sessões conosco, agora pós-traumático, e com o tempo ela poderá começar a lembrar de algumas coisas da infância, porém as chances são pequenas, e praticamente nulas para que ela consiga recuperar mais de 50% da memória. As instruções já foram passadas para a mãe dela, mas qualquer coisa que você quiser saber e não quiser perguntar a ela, eu e minha equipe estaremos à disposição. - Finalizou o doutor levantando-se e estendendo a mão para um cumprimento formal com [Co-protagonista], e o mesmo ele fez. 
Então é isso, pessoal, Sem Lembranças está na sessão "McFLY (S)" do Fanfic Obsession. Passem por lá quando puderem e divirtam-se! Agora eu preciso ir porque estou mais do que atrasada. Até a próxima quinta!


ESPECIAL GINCANA



Sofia Queirós
SOFIA_QUEIRÓS Meu nome é Sofia Queirós - bem, mais ou menos - mas todos me chamam de Sofi. Eu sou o que devem chamar em português de livrólatra, mas suponho que isso não seja exatamente uma surpresa, uma vez que sempre acreditei que quem não é viciado em livros ainda não os conheceu verdadeiramente. No mais, provavelmente tenho outros interesses (como escrever), mas na maior parte do tempo estou lendo ou falando sobre livros. O que não impede ninguém de falar comigo sobre qualquer outra coisa - não se acanhem. Livrólatras não são tão antissociais quanto o estereótipo sugere.

0 comentários:

Postar um comentário

Comente! Sua opinião é muito importante para nós.