As Fanfics do Momento: Dangerous

Olá, amigos! Prontos para mais uma resenha de quinta-feira? Sorte a de vocês, porque hoje temos uma fanfic top de popularidade na indicação. Conheçam (se já não conhecem) Dangerous, da autora Thamih Bittencourt, que está hospedada no Fanfic Obsession na sessão McFLY (D).

Em "Dangerous", a protagonista é uma garota brasileira de cinco cores no cabelo que se muda para Londres e ingressa em uma escola na qual conhece o garoto perfeito. Bem, ele seria perfeito, se não a trouxesse tantos problemas! Mas não problemas do tipo "puxa, ele é bom demais para mim"... são problemas de verdade, cheios de ação e muito perigo! Explosões, tiros, sequestros, sangue, e um passado sombrio que os persegue por onde forem. "Dangerous" também é rica em drama, é exatamente o tipo de história em que tudo pode acontecer, e mesmo assim nunca fica cansativa ou entediante, nem perde aquele sabor doce de romance adolescente. Um equilibrado e descontraído entretenimento para qualquer hora do dia - desde que, é claro, você tenha fôlego para aguentar todas as emoções.

ENTREVISTA COM A AUTORA
Thamih, Dangerous é uma fanfic que segue o estilo "garota brasileira em Londres", o qual faz muito sucesso principalmente entre as Galaxy Defenders (fãs da banda McFly), por representar uma fantasia característica de muitas dessas garotas. Você se inspirou em outras fanfics para escrever Dangerous ou simplesmente sempre teve vontade de escrever algo nesse estilo?
Eu diria que A Garota Da Porta Vermelha pode ter tido algo a ver com isso, pois era uma fic que eu e minha amigas adorávamos na época. Mas veio principalmente de ser um sonho ir para Londres, desde antes do McFly. 

Dangerous é a fanfic do mês no FFOBS (e ainda é destaque aqui no Drunk também). Qual foi a sensação quando você deparou com a dimensão desse sucesso?
Foi algo maravilhoso. Eu demorei para assimilar ainda, porque é algo que eu sempre quis. Ser fanfic do mês é um orgulho sem tamanho, assim como cada comentário que recebo e destaques como no Drunk. As pessoas gostam de ler algo que eu escrevo por paixão, e isso me faz sentir como se tivesse um propósito, finalmente sou boa em algo. Não tem como não se emocionar.

Conta pra gente um pouco dos seus personagens. Os protagonistas são basicamente os integrantes da banda McFLY e as respectivas garotas que formam par romântico com eles. Você criou para os McGuys personalidades platônicas, ou seja, como você apenas imagina que eles sejam ou gostaria que fossem, ou realmente se baseou nas personalidades reais, no que você pôde extrair deles através de seus vídeos e músicas?
No começo eu extraí a personalidade deles, mas gosto de desenvolver algumas características diferentes ao longo da história, o que é bom para surpreender, se não você já saberia quais atitudes eles sempre iriam tomar. O principal foge bastante desde o começo, pois eu escrevo com o Danny, e ele na história é bem diferente do garoto bobo e risonho que costumo ver nos videos. Acho que me baseio mais na voz dele, do que imagino quando a ouço, o que não tem muito a ver com a pessoa que ele realmente é.

E as garotas? Têm tudo a ver com você e suas amigas ou são apenas criações independentes?
A Dangerous vem sendo escrita há muito tempo, então minhas amizades mudaram bastante. Com duas das personagens eu não falo mais, mas mesmo assim, já a "amiga" da Brooklie, é minha melhor amiga até hoje, apesar dos altos e baixos que tivemos. Gosto de manter as meninas iguais as minhas amigas, pois conheço bem a personalidade de cada uma até hoje, e isso me ajuda a saber quais atitudes elas tomariam em certas cenas.

Você chegou ao capítulo 38, e a história se desenvolveu bastante desde o momento em que a principal chega em Londres! Quando começou a escrever, imaginava que fosse alcançar esse "level book" (nível de livro)? 
Não sei dizer ao certo. Eu sabia que a história seria comprida, mas tinha poucas coisas definidas sobre ela. Gosto de sentar e deixar a inspiração fluir, apesar de já ter hoje em dia muito mais da história formada em minha cabeça, deixo as cenas me levarem, e é como se tudo estivesse acontecendo enquanto escrevo, só então as coisas são definidas com certeza. Comecei a escrever por uma vontade irrefreável ao assistir minha série favorita, e hoje quero que essa diversão vire livro.

Que surpresas você planeja para o desenvolvimento de Dangerous nos próximos capítulos?
Hmmm. Poxa, se eu contar, como vou surpreender? Haha. Mas posso dizer que as coisas nunca são simples como parecem para aquele casal, e onde não parece, ainda reinam os segredos. E tiros. Adoro tiros e sangue.

Por último, mande um recado para os leitores do Drunk Culture que não conhecem a sua fic e diga porque acha que eles deveriam conhecê-la.
Dangerous é uma fanfic que tenta ir o mais além possível, dentro da realidade. Experiências de pura adrenalina, amizade, intrigas, e principalmente de amor são vivenciadas a todo momento, nunca perdendo o pique, sempre em cenas intensas. Não tem como não se apaixonar por alguns e não criar um ódio mortal por outros, tomar as dores da personagem e chorar com ela, ou sorrir largamente com o romance do casal. Muitas surpresas são guardadas, e nada é revelado por inteiro até o final da história. Vale a pena mergulhar de cabeça na leitura e ter essas novas aventuras grudadas na sua mente.


E então? Poderiam querer algo melhor do que uma história que é a receita perfeita para a diversão, misturando e balanceando os ingredientes mais emocionantes, como aventura, suspense, ação, romance e adolescência? Para deixá-los ainda mais curiosos, vou postar alguns trechos aqui.


- E você estaria disposto a cumprir todos os meus desejos e me salvar de todos os perigos?
Ele passou as mãos por minha cintura, nos aproximando o máximo que meu vestido fofo permitia.
- Até pelos seus desejos mais caprichosos eu seria capaz de desbravar todos os mares e lugares mais remotos. Para te manter a salvo, eu daria a minha própria vida.
- Coloque a venda neles – o motorista disse. Eu não movi um músculo enquanto o grandalhão com quem dividíamos o banco amarrava a venda em meu rosto, deixando tudo negro como noite. – Não, no garoto não precisa colocar. Mesmo se ele acordar, não vai fazer muita diferença.
Eu perdi a noção do tempo me preocupando com o que aconteceria a seguir. Tudo que importava para mim agora era a minha segurança, continuar viva, pois só assim meu bebê continuaria bem.
Eu devia ter escutado [Co-protagonista] quando ele disse que não deveríamos ficar juntos. Eu devia ter percebido o perigo que estava correndo. Eu não tinha por que me importar com isso antes, eu preferia morrer a ficar longe dele. Mas as coisas eram diferentes agora, e eu estava percebendo tarde demais.  
Adorável, não?
Espero que tenham gostado da indicação de hoje, passem lá na sessão McFLY (D) e confiram Dangerous na íntegra, com 38 bem articulados capítulos e mais de 300 comentários cheios de elogios e ansiedade. Nos vemos na próxima quinta, com outra indicação super emocionante!


ESPECIAL GINCANA



Sofia Queirós
SOFIA_QUEIRÓS Meu nome é Sofia Queirós - bem, mais ou menos - mas todos me chamam de Sofi. Eu sou o que devem chamar em português de livrólatra, mas suponho que isso não seja exatamente uma surpresa, uma vez que sempre acreditei que quem não é viciado em livros ainda não os conheceu verdadeiramente. No mais, provavelmente tenho outros interesses (como escrever), mas na maior parte do tempo estou lendo ou falando sobre livros. O que não impede ninguém de falar comigo sobre qualquer outra coisa - não se acanhem. Livrólatras não são tão antissociais quanto o estereótipo sugere.

0 comentários:

Postar um comentário

Comente! Sua opinião é muito importante para nós.