Sirensong 'O Perigoso Chamado da Rainha' - Jenna Black


Booa noite Drunk Lovers! Trazendo mais uma resenha minha pra vocês, e de um livro bem polêmico - o último da série Faeriwalker. Domingo tem resultado de promo heein, beijão ;)







Sirensong ‘O Perigoso Chamado da Rainha’ – Jenna Black



Sinopse: Dana Hathaway está longe de descobrir uma luz no fim do túnel para tudo o que ocorreu em sua vida desde que decidiu partir em busca de seu pai em Avalon. Lá, descobriu ser uma faeriwalker – um ser raro que é capaz de transitar entre o mundo mortal e o mundo mágico.
Quando é convidada a ir a Faerie para ser oficialmente apresentada à Corte Seelie, a decisão não é fácil. Afinal, todos sabem que Titânia, a rainha seelie, a quer morta. No entanto, ameaçada de prisão caso recuse esse convite, Dana parte com seu pai e seus amigos em uma viagem rumo a Faerie – eles estão cercados de perigos, ameaças e medo. A garota descobrirá que viajar pelo mundo mágico pode trazer surpresas – principalmente se você é um dos seres mais odiados e cobiçados do lugar.



Resenha por Kate: Muitos aguardaram ansiosamente pelo desfecho da saga de Dana Hathaway... Muitos criaram algumas expectativas e gostaram do que viram, muitos se decepcionaram e alguns – como eu, não sabiam exatamente por onde começar a se posicionar quanto á uma opinião critica. Sirensong gerou muita polêmica entre os fãs de Jenna Black e agora chegou a minha vez de tentar demonstrar com palavras, o ‘peso’ que o último adeus da Faeriwalker derrubou sobre nossas cabeças. Porque todos nós sabemos o quanto é ruim dizer adeus...

No terceiro – e último – livro da série, Dana Hathaway se vê novamente lidando com seus velhos problemas; Como manter a mãe alcoólatra longe da bebida, conseguir manter uma convivência agradável com seu pai, e manter as mãos de Ethan ‘paradas’ por conta do acordo que fez com o Erlking quando recebe um convite mais do que intimidador: A Rainha Seelie Titânia deseja apresentá-la formalmente á corte Seelie em Faerie e digamos que, a recusa, não é exatamente considerada uma boa opção.



“_ Já passou da hora de você levar sua filha para receber a benção da rainha. Ninguém haveria de querer alimentar a impressão de que há desentendimentos entre sua família e a rainha depois das ações desafortunadas de sua irmã.” Pág. 20



E então Dana acaba arrastando – mesmo que sem querer – Kimber, Ethan e Keane numa viaja nada amistosa, onde é obrigada a aguentar o fatídico Henry – filho de Titânia em seu encalço. Porém, quando a cansativa viagem á Faerie acaba se mostrando mais perigosa do que tudo o que Dana já enfrentou, todos começam a notar que a verdadeira ‘aventura’ ainda está por começar e que o convite de Titânia ainda lhes reservaria muitas armadilhas.



“_ Vai funcionar – Ethan disse, e só me restou imaginar se aquilo era fruto da sua confiança ou da sua arrogância. – Vou voltar para a estrada para tentar esconder ao máximo os sinais da nossa passagem a partir do ponto em que viramos – ele olhou de um para outro de nós três. _ Se eu for pego, eu grito – seus olhos se detiveram em Keane. _ Se isso acontecer, fica a seu encargo proteger as meninas.
Kimber deu um soco no ombro do irmão.
_ Não somos damas indefesas em apuros. Não precisamos ser protegidas.
Mesmo no escuro, vi Ethan revirar os olhos.
_ Tudo bem, vocês duas protegem Keane. Só não tentem bancar os heróis se eu for capturado.”  Pág. 191



Não consegui formar uma opinião relevante sobre Sirensong até virar a última página, por isso, foi extremamente complicado desenvolver esta resenha. A viagem á Faerie toma grande parte do livro, e por mais que eu tenha apreciado a aproximação que alguns personagens tiveram com a mesma – como Kimber e Keane, por exemplo – acredito que Jenna Black tenha enrolado muito o leitor. Chegou a ser cansativo até, porque eu ficava me perguntando ‘Mas e quanto a isso? E a aquilo? O último livro vai acabar e isso não vai ser explicado?!’  Suponho até mesmo que isso tenha prejudicado o desenvolvimento da história, uma vez que momentos que realmente mereciam uma ‘enrolação’ por parte da Jenna, foram jogados no colo do leitor com tudo, sem hesitação alguma.

Dana é uma personagem que a meu ver regrediu e muito ao invés de progredir como protagonista. O relacionamento dela com Ethan - que para falar a verdade, eu nunca aprovei – foi um dos pontos fracos. Senti como se todo o enredo de Shadowspell tivesse sido a toa.

O desfecho do pacto com o Erlking por exemplo, era para ter sido o grande atrativo de Sirensong mas no fim, Jenna o desperdiçou. Não gostei do fim rápido e grotesco que ela deu á ele, não mesmo. E aposto que não fui a única. E só me desanima o fato de esse ser o último livro.
No entanto, gostei do final de Keane e Kimber, por mais que eu tenha sido do time que torcia por ele e Dana, acredito que nossa protagonista realmente não o merecia.
Sirensong é bom sim, mas poderia ter sido melhor Jenna Black.

Parabéns á Universo dos Livros, porque sem dúvida alguma, a arte da série Faeriwalker é magnífica. As melhores capas que já vi. Muito obrigada também, pela oportunidade que nos deu de conhecer o trabalho da Jenna Black.




Capa: 5
Enredo: 4
Desenvolvimento da História: 3





Kate Willians
KATE_WILLIANS Uma blogueira aquariana de 17 anos, que ama escrever e ler de tudo, adora The Vampire Diaries e é mais desastrada que um pato. Sonha em ser jornalista e acaba de publicar o seu primeiro livro; Debaixo das Minhas Asas.

0 comentários:

Postar um comentário

Comente! Sua opinião é muito importante para nós.