O Espião - Clive Clusser e Justin Scott



O Espião - Clive Clusser e Justin Scott

Sinopse: É 1908 e acumulam-se tensões internacionais enquanto  o mundo caminha inexoravelmente para a guerra. Após um talentoso projetista de canhões de couraçados morrer em um aparente suicídio, sua filha, angustiada, recorre á lendária Agencia de Detetives Van Dorn para limpar o nome do pai. Van Dorn põe seu principal investigador no caso, Issac Bell, que logo percebe que as pistas apontam não para suicídio, mas para assassinato. E quando se seguem outras mortes mais suspeitas, fica evidente que alguém – um ardiloso espião – está orquestrando a eliminação das mentes tecnológicas mais brilhantes... Mas isso é apenas o começo.


Resenha por James: Em primórdios de 1908, há uma espécie de “corrida” para armamento de couraçados americanos (tudo tem que girar em torno de americanos). Devido a esse fato, surge o uso de espiões (a vá, é mesmo) para sobrepujar o desenvolvimento de um novo couraçado da Marinha Americana.
Começara com um aparente suicídio de um dos membros da equipe do novo couraçado - chamado de “Casco 44”, considerado o maior couraçado já construído – Arthur Langner. Onde fora assassinado (de maneira formidável) por um espião japonês Yamamoto Kenta – patriota japonês que era somente subordinado por um espião ainda maior.
Issac Bell, um agente da Agencia de Detetives Van Dorn (Como FBI), entra no caso a pedido da filha de Langner, para limpar o nome do pai.


“Papai estava satisfeito demais com seu trabalho para se matar. Hoje sua fabrica de canhões produz os melhores canhões de 12 polegadas do mundo.”


Assim começa a investigação. Contudo, há outros pioneiros envolvidos nesse caso, o que se torna mais perigoso e mais colossal.
Gordon – outro “Da Vinci” dos couraçados – também era vigiado por um espião que, de certa forma, causou sua “morte acidental”. É onde entra a Alemanha, causando uma certa teoria de uma Conspiração contra o poder Naval Americano.

Lakewood, especialista em controle de tiro sofrera o mesmo destino por se envolver no “Casco 44”, por uma bela mulher.

A investigação toma um rumo mais complexo a cada assassinato, prolongando o mistério a cada minuto, onde Issac procura respostas entre outros envolvidos no projeto. McDonald, outro lunático, lhe infomara, depois de ser morto por gangsteres locais, mandados por Tommy Thompson – chefe dos Ghophers – mandara a mando de Brian O’Shay( ou Olhos como era conhecido), um sujeito gênio, meticuloso, sombrio, um cara com inteligência igual a sua perversidade: extremamente monstruosa.


“- Abra a Mão! – disse O’Shay.
Como ele não abrisse, o aço picou o olho remanescente.
- Vai perder este aqui se não abrir a Mão.
Quando abriu, estremeceu quando pressionar alguma coisa redonda e terrível em sua Mão e fechar ao seu redor com delicadeza. Era o olho de seu capanga.”


Houve tentativas de assassinato contra Issac por se envolver demais nesse caso, mas não seria coerente de um detetive de Van Dorn submeter-se a tal risco no qual já soubera.

Os espiões iriam mudar o rumo de Issac Bell e toda a agencia Van Dorn.
Alemães, japoneses, americanos, franceses e agora britânicos. Todos agora envolvidos em um conflito que mudaria tanto o rumo da história quanto do mundo atual. A guerra começaria, e seria derivada de uma única pessoa com varias personalidades, inteligência indômita capaz de enganar todos os envolvidos. O campo de batalha seria no mar.


“-Bem vindo ao mundo da espionagem! Senhor Bell! – disse o espião britânico.”


O Ruim de O Espião, em minha opinião, foi o fato de A trama se concentrar somente no ponto de vista americano, como se os Estados Unidos sempre tivesse tendência a começar ou a terminar um conflito, dando um ar de que todos os americanos são os heróis da nação.

Porém, os personagens do livro não deixaram a desejar. Principalmente, O vilão; Ele consegue enganar a todos: Os britânicos, japoneses, franceses e principalmente os americanos. Destaque também para os detalhes de cada ação da trama, ambiente criado pelos autores e a inteligência usada na elaboração dos crimes, pontos que tornam o mistério mais vivido e coerente. O Espião retrata sem dúvidas, um tema bem inusitado e que tem tudo para ser sucesso no mundo literário.



Capa: 5
Enredo: 5
Desenvolvimento da História: 5








James MacQueen
JAMES_MCQUEEN Metaleiro. Nerd. Viciado em Games, The Avengers, louco por mitologia, maluco por tecnologia ah e é claro, nerd AO EXTREMO.

0 comentários:

Postar um comentário

Comente! Sua opinião é muito importante para nós.