O Drunk Questiona - Carolina Munhóz

Boom dia Drunk Lovers, hoje, mais uma entrevista para o nosso quadro O Drunk Questiona, espero que gostem! 


Sinopse: Uma história repleta de magia e espiritualidade. Candidata a seguir os passos de Alexandra Ardonetto e Cassandra Clare” – Revista Época

Alguns jovens ganham presentes caros, passagens aéreas ou festas surpresas em seus aniversários de 18 anos. Melanie Aine ganhou o falecimento do pai, uma estranha tatuagem e a descoberta de que não era um ser humano.
Como se tudo isso não fosse suficiente, Melanie ainda descobriu por detrás da enevoada e mística cidade de Londres um mundo fantástico que até poderia ignorar, se não descobrisse ser parte importante dele. Um legado que traz com ele diversas tragédias e problemas pessoais que ela não espera se adaptar, mas não sabe se terá opção.
A única parte recompensadora parece ser seu encontro com um homem misterioso, oriundo de uma família bruxa poderosa, cuja relação caminha em uma linha bamba e tênue que separa afeto e fúria.
Um afeto que pode levá-la à transcendência e à vida eterna.
Uma fúria que pode conduzi-la à morte e ao esquecimento.
Dentre muitos feitiços, lutas, criaturas mágicas e eventos sobrenaturais, “A Fada” é uma história de descobertas e superações, sobre como o amor pode fazer várias pessoas redescobrirem a vida e a magia nela

O Drunk Questiona – Carolina Munhóz

 É um prazer imenso trazer para o nosso quadro, mais uma autora nacional de
sucesso! Essa entrevista será mais curta que as outras, mas nós iremos tentar ser bem criativos... Então, para começar Carolina, fala pra gente, qual foi o ‘pontapé inicial’ para que você escrevesse A Fada? O que te inspirou a criar um mundo tão exótico em meio á literatura
fantástica?

Carolina: Meu pontapé foi um sonho e uma fase negra na minha vida. Pode parecer um pouco triste isso, mas hoje se tornou uma grande felicidade.
Eu era muito nova e estava passando por uma fase estremamente difícil. Em um dia em que estava rezando para que algo bom me acontecesse, eu dormi e tive um sonho com uma fada muito bonita. Nesse sonho uma boa parte de “A Fada” havia sido criada e depois foi só acrescentar os detalhes.
Então minha maior inspiração foi essa visão e os livros que me acompanharam desde pequena, como Harry Potter.

 Não sei se esta foi a sua primeira obra, mas gostaria de saber, quando e como foi que você descobriu que a sua paixão pela escrita ia além das ‘redações forçadas da época do colegial’? Quando foi que você resolveu levar a sério essa história de se tornar autora?

Carolina: Eu comecei escrevendo fanfics de Harry Potter para sites do gênero, então não eram livros, mas já dava para treinar. Depois com 16 anos escrevi meu primeiro livro que é “A Fada”. Contudo, só percebi que estava escrevendo um livro no terceiro capítulo.
Quando terminei de escrevê-lo, percebi que meu caminho começava e não existia outra profissão na minha vida. Após isso, determinei esse objetivo e lutei para hoje poder viver de literatura.

Todos nós sabemos o quanto é raro um autor brasileiro ganhar espaço na literatura.
Porque querendo ou nós – autores – ainda sofremos algum preconceito – principalmente os novos, iniciantes – então o que você pensa dessa situação, no geral? Que conselho daria para
esses autores?

Carolina: Infelizmente a carreira é muito complicada e restrita, por isso são poucos que conseguem ter seus livros publicados. Aos poucos o mercado está mudando, mas ainda tem muito para acontecer.
A nova geração de escritores, em especial de fantasia desse país, está querendo mudar essa visão que as pessoas possuem de nossa carreira.  Acredito que vamos conseguir! Tem muita gente boa por ai.
Meu maior conselho: Escreva! Se você não tem um livro pronto, para o mercado você não é um escritor.

O que você anda lendo? É uma pergunta tão simples, mas a verdade é que nós
sabemos o quão difícil é para um autor se manter sempre atualizado. Porque apesar de amar ler, há sempre a falta de tempo. Como você coincide ‘trabalho, família, livros...’?

Carolina: No momento estou lendo o livro “Love Under Cover” em inglês da autora americana Jessica Brody. Já li dois livros delas (Fidely Files e Karma Club) e estou adorando esse também.
Conheci a Jessica na Bienal e recentemente fui visitá-la nos Estados Unidos. É uma excelente amiga e escritora. Recomendo!
Realmente é complicado se manter atualizado nesse mercado. Ao mesmo tempo em que você tem que ler os livros do seu gênero, é preciso parar para escrever o seu próximo e ainda ter tempo para as outras coisas. O bom é que meu marido também é escritor e em casa só falamos disso. Minha família também me dá muito suporte, então não reclamam tanto de eu não poder visitar. rs

 E para encerrar com chave de ouro, quais os seus planos – como autora – para
2012? Já pensou em alguma coisa, algo que possa nos adiantar?

Carolina: Eu tenho dois livros prontos e estou começando uma série nova de fantasia/chick lit. Esse ano lanço meu próximo livro de fantasia Young Adult, mas ainda estamos definindo o mês. Logo divulgo mais dados.
Pretendo crescer cada vez mais na carreira e tenho gostado muito de poder ter contato com leitores tão maravilhosos.
Muito obrigada pelo espaço em seu blog e quem quiser entrar em contato comigo é só me escrever no @carolinamunhoz ou nowww.carolinamunhoz.com.
Super beijo e que as fadas as iluminem.

0 comentários:

Postar um comentário

Comente! Sua opinião é muito importante para nós.