Especial Elizabeth Chandler - Beijada 'A força do Amor'

Boa tarde Drunk Lovers, estou super atrasada hoje porque surgiram alguns problemas para resolver e eu acabei perdendo o dia, então curtam a resenha e comentem bastante! Beijinhos





Beijada por um anjo 2 ‘A força do amor’ – Elizabeth Chandler


Sinopse: “Sei que o perdi... Tristan está morto. Jamais poderá me abraçar novamente. O amor termina com a morte.” Ivy
Quatro semanas se passaram desde o acidente em que Ivy Lyons perdeu Tristan, o grande amor de sua vida, e deixou de acreditar nos anjos. Os dias têm sido dificeis e para superá-los, Ivy busca forças na familia e nos amigos. Sua grade motivação agora é ensaiar para a apresentação de piano no Festival de Artes de Stonehill, já que Suzanne, sua amiga de infância, pensando em animá-la, fez a inscrição, mesmo contra a sua vontade.
Ainda sem saber lidar com os seus poderes angelicais, Tristan Carruthers conta com a ajuda de Lacey – um anjo mais experiente – para aprender a tocar nas pessoas, canalizar energia e voltar ao passado. Assim, os dois partem na busca por respostas para o acidente, por uma maneira de Ivy sentir Tristan e, principalmente, de mostrá-la que o acidente foi, na verdade, um assassinato.
Todo esfcorço de Ivy para superar a perda de Tristan é interrompido por pesadelos que a fazem reviver o dia do acidente e se misturam com fatos do dia do suicidio de Caroline, ex-mulher de Andrew, marido de sua mãe. O temor de Ivy é acalantado nos braços de Gregory, seu irmão adotivo.
Angustiado pelos continuos pesadelos da amada, Tristan decide que é a hora de fazer contato e segue seu objetivo com a ajuda de Lacey. Mas como aproximar-se de Ivy se ela não mais acredita em anjos e ele agora é um?
O amor que os une será o canal para Tristan se aproximar de Ivy e alertá-la sobre as pessoas que estão ao seu redor. Será que todos em que ela confia são realmente seus amigos?

Resenha por Kate: Esta não foi minha melhor leitura, digo, realmente me decepcionei com esse segundo livro da saga Beijada. Acho que os acontecimentos foram todos superficiais, os personagens, cenários, tudo. Acho que Elizabeth deu aquela viajada, na boa.
Fisicamente o livro é todo fofinho, a capa é linda e até veio envolta em uma faixa pink bem bonita. Mas acho que o conteúdo deveria ter sido melhor.
Nesse segundo livro – A força do amor – tudo o que vemos é a aproximação proposital de Ivy com Gregory e todo o esforço de Tristan em falar com ela. Em primeiro lugar o que acho, deixou muitas lacunas abertas, foi justamente essa ‘cumplicidade’ que Ivy passa a ter com Gregory até porque no primeiro livro vemos o quanto ela não gosta dele, não o suporta. Então em minha opinião foi tudo muito rápido! Não foi uma aproximação cautelosa, cuidadosa, aquelas que costumam acontecem naturalmente. Foi tudo muito forçado.
E sua amiga Suzanne, que fora citada inumeras vezes como ‘a melhor amiga’ acabara não sendo assim tão amiga, já que todos os acontecimentos nos levam a crer em sua futilidade e o quanto ela não liga para Ivy.
E eu esperava mais por parte do mundo ‘celestial’ qual é, é só isso que os anjos fazem? Ficam zonzando na terra até descobrir o que fazer?
Acho que Elizabeth poderia ter explorado mais o lado sobrenatural que inseriu em suas obras.

Mas o livro não é de todo ruim, fiquem calmos! Gostei de nossa outra ‘anja’ da historia: Lacey. Ela é ótima; engraçada, leal... Foi a personagem que mais marcou. Porque até mesmo Ivy não provou ser uma personagem ‘dificil de ser esquecida’ pelo contrário, eu não gostei dela nesse ‘A força do amor’, não mesmo.
Outro ponto positivo é Will, um dos mocinhos que entram em cena. Achei ele extremamente fofo e todas as suas aparições no livro acabaram que por salvar Elizabeth do clichê. Seus sentimentos por Ivy são tão bem escritos, bem aprofundados.

“ _Tá, talvez tenha pensado, Ivy –admitiu Beth. - _Mas...
Will virou-se novamente. _Não fui eu quem falei! – Insistiu Ivy.
_Disse o quê? – Perguntou Will, inclinando a cabeça. Ivy tinha certeza de que ele ouvira. _Que você tem um... Que eu pensei... Que... – Ivy olhou de canto de olho para Beth. _Ah, deixa para lá!
_Do que ela está falando? – Will perguntou para Beth.
_Alguma coisa sobre o seu traseiro. – Disse Beth.
Ivy ergueu as mãos para o alto. _Não tô nem ai para o traseiro dele!” Pág. 133

O livro tem algumas tiradas engraçadas. Mas confesso que o único fator que me fez continuar a leitura foi o desenrolar do relacionamento de Will com Ivy, porque eu fiquei mega curiosa para saber no que daria.
Quanto aos errinhos de ortografia e concordância, coisa pouca. Quase não dá para notar.

“Ele segurou seu rosto. Ela recuou instintivamente quando ele tocou em seu machucado. Mas ele não a machucaria, e não a soltou. Escorou sua nuca com a outra mão. Não havia como escapar. Talvez ela não quisesse escapar.
_Tome cuidado, Ivy. Tome cuidado! Estou te falando... tome cuidado! – seus olhos brilhavam com tamanha intensidade que a fizeram piscar, soltar-se dele e sair correndo.” Pág. 140

E o último ponto negativo da historia, Ivy não ama Tristan tanto assim. Foi a conclusão a que cheguei porque ela dúvida de mais de seus sentimentos, e vive caindo de amores por Gregory e Will, por mais que ela não admita. Agora ficou dificil saber as notas que irei dar não é?
Então aguenta ai que vou soltar algumas citações, minhas favoritas ao desenrolar desse livro.

“Mas era tão errado gostar de alguém que se preocupava com ela? Era errado querer tocar alguém que a tocava com tanta delicadeza? Era errado ter mudado de opinião sobre Gregory?” Pág. 176

“_Penso em você dia e noitre – disse. Ele acariciou-a delicadamente, deslizando os dedos por sua nuca. Beijou-a tão delicadamente quanto beijaria uma criança.” Pág. 215


Capa: 5
Enredo: 5
Desenvolvimento da historia: 3



Kate Willians
KATE_WILLIANS Uma blogueira aquariana que ama escrever e ler de tudo, adora The Vampire Diaries e é mais desastrada que um pato. Sonha em ser jornalista e está tentando publicar seu primeiro livro.

0 comentários:

Postar um comentário

Comente! Sua opinião é muito importante para nós.