Água Para Elefantes - Sara Gruen

Boom dia Drunk Lovers, estamos numa correria danada hein?! Mas estou amando 2012 [rindo] e antes de postar a resenha de hoje eu queria fazer um pedido: Que vocês que já são nossos leitores e também a aqueles que estão chegando agora não deixassem de comentar nas postagens. Faço tudo sempre com muito carinho e pensando em vocês, então é triste quando olho para os nossos 204 seguidores e vejo que pouquíssimos comentam. Eu preciso saber o que vocês pensam do nosso trabalho para que assim possamos evoluir, não concordam? Queremos crescer com vocês - nossos leitores - e não sozinhos. É isso, espero que pensem bem no assunto. Agora vou deixar vocês com a resenha de um livro que eu particularmente amei! Mas como sempre digo, minha resenha vai falar por mim :)







Água Para Elefantes – Sara Gruen
Sinopse: Desde que perdeu a esposa, Jacob Jankowski vive numa casa de repouso, cercado por senhoras simpáticas e fantasmas do passado. Durante 70 anos ele guardou um segredo: nunca flou a ninguém sobre o período da sua juventude em que trabalho no circo. Até agora.
Aos 23 anos, Jacob era um estudante de veterinária, mas teve sua vida transformada após a morte de seus pais num acidente de carro. Órfão, sem dinheiro e sem ter para onde ir, ele deixa a faculdade antes de fazer as provas finais e, desesperado, acaba pulando em um trem em movimento, o Esquadrão Voador do Circo Irmãos Benzini, o Maior Espetáculo da Terra.
Admitido para cuidar dos animais, Jacob sofre nas mãos do tio Al, o empresário tirano do circo, e de August, o ora encantador, ora intratável chefe do setor dos animais.
É também sob as lonas que ele se apaixona duas vezes: primeiro por Marlena, a bela estrela do número dos cavalos e esposa de August; e depois por Rosie, a elefanta aparentemente estúpida que deveria ser a salvação do circo.
Água para Elefantes é tão envolvente que seus personagens continuam vivos muito depois de termos virado a última página. Sara Gruen nos transporta a um mundo misterioso e encantador, construído com tamanha riqueza de detalhes que é quase possível respirar sua atmosfera.

Resenha por Kate: Como a própria sinopse promete, os personagens desse livro continuam vivos mesmo após a leitura, é quase como se estivessem a seu lado sorrindo satisfeitos consigo mesmos após nos contarem sua história. Confesso que não esperava muito desse livro até que o verdadeiro enredo começasse a ser mostrado.

 Sara Gruen pesquisou muito antes de começar a escrever e isso é perceptível já que os detalhes da vida no circo são meticulosamente explorados e mostrados de maneira que nos deixa inteiramente conectados com Jacob e o seu dia – a – dia. Os personagens todos são profundos e até mesmo reais, não vemos superficialidade em nenhum deles.

E o interessante é que o livro é narrado sob dois pontos de vistas, um de Jacob já velho e internado em uma casa de repouso e o de Jacob jovem, vivendo no circo. Eu dei boas risadas com o vovô Jacob, um velho ranzinza mas mesmo assim amável. Não conheci meu avô mas se tivesse conhecido, ele seria exatamente como Jacob Jankowski.

“_Não, espere! Não quero me sentar ai hoje.
_Não se preocupe Sr. Jankowski. Tenho certeza de que o Sr. McGuinty já o perdoou por ontem à noite.
_ Ah, pois é, mas eu não o perdoei. Quero sentar ali. – digo, apontando para outra mesa.” Pág. 58

Água para Elefantes também levanta um outro tema que eu acho polêmico, que é o quanto sofrem os idosos quando chegam a uma idade em que começam a dar trabalho. Os filhos, como fizeram os de Jacob, simplesmente os jogam num asilo e quase nunca vão visitá-los. Ou se vão é apenas como uma obrigação, Jacob sofre demais com isso. E eu senti um tremendo desapontamento por parte de seus filhos, que nem ao menos aparecem na obra.

Quanto ao romance de Jacob – jovem – e Marlena, achei meio demorado. Quero dizer, demorou muito para que os personagens começassem a fazer um avanço nesse departamento e mesmo assim deixou um pouco a desejar. Mas isso não me atrapalhou e nem mudou meu consentimento sobre o livro, pois os outros acontecimentos foram excitantes demais para que eu pudesse sentir falta de algo. Rosie – a elefanta – é fantástica, eu admito que chorava quando lia sobre as crueldades de August para com ela.

Falando em August ele é o tipo perfeito do personagem mau caráter, no começo eu o achei intrigante mas depois comecei a odiá-lo. Várias vezes me questionei sobre os motivos que levaram Marlena a casar com alguém como ele.

“Walter sorri. Leva a garrafa aos lábios do Camel e o deixa tomar longos goles. Então ele a tampa, se inclina para o outro lado, ainda de cócoras, e me estende a garrafa.
_Leva essa também. Diga a ela que também sinto muito. De verdade.
_Ei! – Grita Camel. _Mulher nenhuma no mundo vale duas garrafas de uísque! Por favor!” Pág. 187

Walter e Camel, os amigos de Jacob são meus personagens favoritos. Engraçados e sarcásticos. Eu os adoro, e aposto que você também vai adorá-los. Outro ponto que acho relevante levantar é que a Arqueiro não poupou os palavrões na tradução. Nada de suavizar as palavras chulas usadas, elas estão como a autora escreveu. Sem tirar nem por. Água para Elefantes entrou para a lista dos meus favoritos, o segundo livro que leio em 2012 sem dúvidas vale ouro. Então corra, compre o seu ou o pegue na biblioteca e comece a ler!

Capa: 5
Enredo: 5
Desenvolvimento da história: 5


ESPECIAL GINCANA



Kate Willians
KATE_WILLIANS Uma blogueira aquariana que ama escrever e ler de tudo, adora The Vampire Diaries e é mais desastrada que um pato. Sonha em ser jornalista e está tentando publicar seu primeiro livro.

0 comentários:

Postar um comentário

Comente! Sua opinião é muito importante para nós.