Como se Livrar de Um Vampiro Apaixonado por Beth Fantaskey




Hello, Boa tarde pra todo mundo! Final de semana tenso com o Enem né não?! Quem ai fez? Ano que vem sou eu já hahaha
Fiquem com a resenha de hoje que é bem curtinha, e um aviso triste... Vocês não chegaram a conhecer muito bem mas a Elenzynha uma de nossas resenhistas está saindo do site, então né... A resenha de hoje é dela e de uma amiga, meio que uma despedida do Drunk, então nesse clima tenso eu deixo vocês com 'Como se livrar de um vampiro apaixonado' E mais tarde eu voltarei com a coluna desse domingo :B E também com o novo tema da Batalha Literária!



Como se Livrar de Um vampiro Apaixonado - Beth Fantaskey

Antanasia Dragomir, ou como prefere ser chamada, Jessica Packwood, é uma garota que nasceu na Romênia, mas, ainda bebê foi levada aos EUA por seus pais adotivos. É uma típica adolescente do interior da Pensilvânia, criada por vegetarianos, em uma fazenda onde qualquer animal abandonado é bem vindo.
Jess sofre uma grande reviravolta em sua vida quando um cara gato, porém esquisitão gótico aparece em sua casa, diz que é um vampiro e que ele e ela são a realeza dos vampiros e , ainda por cima, que ela deve se casar com ele para o bem de sua raça.
Lucius Vladescu, o cara que Jess nunca sonhou que iria conhecer faz de tudo para que ela vá com ele para a Romênia, reinar sobre uma nação de sugadores de sangue.
O que ela diz: não vou com você a lugar algum e vampiros não existem.
O grande problema é que, além de Lucius morar na casa de Jessica e frequentar a mesma história da nossa heroína, ele atrapalha o relacionamento (que na verdade ainda nem havia começado) dela com Jake Zinn, o gato do qual Jess gostava.
É a partir do momento em que Jess começa a realmente conhecer a vida dura que Lucius levou e o quão interessante o cara é, que ela reconhece que gosta dele verdadeiramente. Mas já é tarde demais: Lucius se encantou com a vida nos EUA e não está mais interessado nela, e sim em sua grande rival da escola, Faith Crosse.
Entre campeonatos de montaria, sorvetes de tofu e alfarroba, coelhos cozidos e copos de sangue, esse livro encanta a todos que o lêem.
A escrita é fácil de ser entendida, mas o livro é dividido em muitos capítulos (praticamente a cada duas páginas) o que desanima um pouco, mas não se deixe levar, pois a história te prende. O livro é um dos romances do qual eu mais gostei, não sendo previsível e sofrendo reviravoltas que ninguém nunca esperaria.

Por Ellenzynha e Fernanda.



Release de Reino das Névoas - Tarja Editorial

O livro, de visual ousado, contém ilustrações da própria autora abrindo cada um dos contos do livro, com novas histórias que brincam com elementos clássicos: príncipes e princesas, feiticeiras, maldições, bosques misteriosos, feras falantes. Trata-se de um livro de contos de fadas que não se autocensuram e, ao mesmo tempo, têm o sabor da moderna ficção fantástica.

A apresentação, do escritor Richard Diegues, dá uma noção da obra:

“Gosto de Contos de Fadas. Todos gostam. São histórias que ouvimos de pessoas queridas, desde a tenra infância, com finais felizes, sempre nos transmitindo uma moral que devemos aprender e conservar para os futuros adultos em que nos tornaremos. (...) Crescemos com eles em nossa memória. E, então, chegamos à vida adulta e aprendemos que nem tudo neles é realmente factível na vida real. Enfim, começamos a nos perguntar: o que foi escondido pelos escritores que, ao longo dos tempos, foram adaptando, lapidando e moldando essas lendas para torná-las palatáveis? O que nossos pais esconderam sutilmente de nós enquanto os liam na cabeceira de nossas camas? Agora que somos adultos, procuramos por essas respostas. E aqui, neste livro, elas estão em cada linha (...).”

As ilustrações são um diferencial. “Sempre adorei livros ilustrados. Quero oferecer ao leitor o tipo de obra que eu mesma procuro”, explica a autora. Ela ainda destaca o fio condutor do livro: “o despertar para o mundo adulto e para o autoconhecimento, na forma dos vários perigos que os personagens têm de enfrentar para passar de um estágio a outro na vida. Minha proposta é usar a fantasia para falar da realidade”.

Reino das Névoas é uma ótima pedida para relaxar os olhos e a mente, desviando-se um pouco dessa neblina do politicamente correto que vem encobrindo a literatura nacional nos últimos anos.



0 comentários:

Postar um comentário

Comente! Sua opinião é muito importante para nós.